Explosão faz 29 feridos

‘incidente terrorista’ foi levado a cabo através de bomba artesanal

16 Set 2017 / 02:00 H.

O número de feridos do atentado terrorista, levado a cabo na manhã de ontem, no metropolitano de Londres situa-se nos 29, 18 dos quais foram transportados para os hospitais, de acordo com números avançados pelas autoridades britânicas (até fecho desta página).

As chamas deflagraram, às 8h21 (hora local), num balde de plástico depois de se ter sentido uma explosão, no interior de um comboio com capacidade para transportar 865 passageiros.

As autoridades já tinham anunciado que estão a lidar da ocorrência no quadro de um “acto terrorista” que provocou uma explosão e “bolas de fogo” no interior da composição que se encontrava na estação de Parssons Green.

Madeirense conseguiu escapar

“Assim que o metro de superfície parou na estação e as portas abriram, começo a ouvir gritos vindos das últimas carruagens. Algumas pessoas gritavam “bomba”, “ataque” , “fujam”. Ao que várias caem no chão, sendo, subsequentemente, atropeladas”, relatou Pedro Reis, madeirense que se encontrava no local.

De acordo com o seu testemunho, “a saída ficou bloqueada em poucos segundos” e ao ver-se “impossibilitado de sair por ali, e juntamente com alguns passageiros” saltou “para a linha do comboio para escapar”.

May e Trump falam do ataque

A primeira-ministra britânica, Theresa May, classificou ontem de “cobarde” o atentado na estação de metro de Parsons Green em Londres, sublinhando que o ataque tinha como objectivo causar enormes danos.

“O engenho explosivo tinha como objetivo causar enormes danos”, declarou May no final de uma reunião de emergência do seu gabinete de segurança, pedindo aos cidadãos para se manterem alerta nos transportes públicos da capital britânica.

Por seu lado, o presidente norte-americano Donald Trump denunciou os “terroristas falhados” que cometeram o atentado, afirmando que estavam identificados pela Scotland Yard antes deste ataque. “Outro ataque em Londres por um terrorista falhado. São estas pessoas doentes e dementes que estão na linha da mira da Scotland Yard. É necessário ser proactivo!”, escreveu Trump no ‘Twitter’.

Outras Notícias