Estádio do Marítimo faz história

Na recepção ao Benfica o estádio finalmente vai funcionar em pleno

01 Dez 2016 / 02:00 H.

Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2016, ficará como mais um marco na história do Marítimo e da Região: o Estádio do Marítimo recebe o Benfica, na abertura da jornada 12 da Liga da temporada 2016/17, com as quatro bancadas finalmente funcionais. A última fase de construção/remodelação do estádio ficou concluída com a abertura da nova bancada poente, já utilizada no embate frente ao Braga, onde se situará a parte nobre do recinto: bancada para sócios cativos, camarotes, incluindo o camarote presidencial, nova bancada de imprensa e zona técnica. Ficarão ainda zonas por concluir, nomeadamente o restaurante panorâmico situado no último andar da nova bancada, com vista privilegiada para a baía do Funchal. Mas, como diz Carlos Pereira, “a obra fica utilizável, fica concluída, mas não paga”, naquele que tem sido o cavalo de batalha do clube e do seu presidente.

Foram longos e penosos sete anos para que a obra se concluísse. Recorde-se que a decisão política de doar o Estádio dos Barreiros ao Marítimo, através da Resolução n.º 551 de 30 de Abril, foi tomada em 2009. Nessa altura o governo regional aprovou a cessão a título definitivo do imóvel denominado “Estádio dos Barreiros e terrenos anexos” ao Club Sport Marítimo da Madeira, para fins de interesse público. A Escritura Pública de Doação do Estádio dos Barreiros ao Marítimo foi feita em 9 de Junho de 2009, no Cartório do Governo Regional da Madeira. A propriedade foi registada na mesma data a favor do C. S. Marítimo, com a descrição em livro nº 34619, pela Apresentação nº 1364, na Conservatória do Registo Predial do Funchal.

A obra arrancou, depois do governo regional ter celebrado um contrato programa (Resolução n.º 1299/2010, de 22 de Outubro), e destinado à comparticipação financeira pelo extinto Instituto do Desporto da Região Autónoma da Madeira para a construção na de construção do Novo Estádio dos Barreiros, bem como nos demais encargos associados ao empreendimento e à modernização do referido estádio.

Apoio às obras revogado

Entretanto, e já não bastasse ter falhado o financiamento bancário por atraso do executivo regional, o processo conhece mais um revés. A 28 de Dezembro de 2012 o governo revogava o contrato-programa de desenvolvimento desportivo n.º 258/2010, para construção do estádio, no âmbito dos compromissos assumidos pela Região Autónoma da Madeira, perante o Instituto Nacional de Estatística, o Banco de Portugal e a Direção-Geral do Orçamento, no contexto do apuramento do défice de 2011 (PAEF).

A obra uma vez mais partiu. Apenas em 2014, por intervenção do governo regional, se tornou possível recomeçar com as obras até chegar à concretização da primeira fase, que teve uma pré-inauguração com um espectáculo, no estádio, proporcionado por David Carreira.

A abertura da primeira fase do estádio registou-se a 3 de Janeiro de 2015, quando o Marítimo recebeu e bateu o Sporting de Braga por 2-1 para a 15ª jornada da I Liga da temporada 2014/15. Então funcionaram apenas a bancada Nascente e a bancada no Topo Norte. A funcionalidade total nesta primeira fase de construção/remodelação do estádio deu-se no jogo frente ao Benfica, a 18 de Janeiro de 2015, com a abertura da bancada no Topo Sul.

A segunda fase de construção do estádio do Marítimo, que implicou a demolição da velha bancada central, aconteceu na manhã de 3 de Fevereiro de 2015. Quase dois anos depois está o estádio praticamente concluído, faltando ainda, para além do restaurante, a conclusão do parque de estacionamento situado no antigo ‘galinheiro’ e outras valências não consideradas prioritárias nesta fase.

Recinto classe 1 para 10.600 espectadores

O Estádio do Marítimo terá uma capacidade para 10.600 lugares espalhados pelas quatro bancadas todas cobertas: Nascente, Poente, Topo Sul e Topo Norte. São 42 os camarotes, 24 no Piso 2 e 18 no Piso 3, com capacidades que variam entre as 12 e 15 pessoas, num total de 438 espectadores. Os camarotes do piso 2 têm acesso directo ao parque de estacionamento localizado no antigo ‘galinheiro’. A Tribuna Presidencial do Estádio do Marítimo fica situada no Piso 3, precisamente junto à porta principal e com capacidade para 81 pessoas.

Refira-se ainda que foram reservados 58 lugares para a imprensa, para além dos reservados às televisões, e criadas novas salas para as conferências de imprensa e trabalho dos jornalistas.

Foi ainda construído, no topo sul do estádio, um espaço polivalente para a prática do andebol, futsal e ténis. O ténis de mesa já tinha um espaço reservado no estádio, bem como as corridas de patins (treinos).

O Estádio do Marítimo está ainda dotado de um sistema de som moderno, assente em 18 colunas ao longo de todas as bancadas, dois ecrãs gigantes, uma prisão, de acordo com as normas exigidas, estando agora classificado na classe 1 nas categorias dos estádios de futebol.

Outras Notícias