Escolhas genuínas e sem pressões

06 Fev 2017 / 02:00 H.

Pelo segundo ano consecutivo, Fátima Lopes foi considerada pelo público português a ‘Personalidade Cinco Estrelas’ na área da moda. O prémio é entregue quinta-feira na Fundação Champalimaund, em Lisboa.

O que significa ser novamente personalidade Cinco Estrelas na moda? É importante porque é uma escolha do público, logo é genuina e sem pressões de ninguém. Tem muito valor por isso.

O facto de ser um prémio que vem da escolha do público acaba por ser mais valorizado por si? Muito mais, até porque sabemos que as atribuições de prémios são muitas vezes feitas por um júri que nem sempre é imparcial. Neste caso é exactamente ao contrário, é uma escolha expontânea e genuína.

A imagem que as pessoas têm da sua marca ajudou? Acho que isto é uma escolha da marca, aliás, a marca sem mim não existia e eu sem a marca não seria a pessoa que sou. É a minha moda, e o meu trabalho como criadora que estão a ser premiados.

É uma referência na moda portuguesa. Aumenta de alguma forma a sua responsabilidade? Não me preocupo com isso. Eu faço o meu trabalho com o objectivo de ser feliz. É uma profissão muito difícil porque exige investimento e dedicação. Lá fora nunca escondi as minhas origens e sou sempre a designer portuguesa. A partir daí acho que não tenho de sentir responsabilidade. Faço o meu trabalho, invisto, arrisco, vou à luta e não desisto.

Mas é bom saber que tem o carinho e a admiração dos portugueses. É muito bom, mas estes prémios fazem-me sentir que não conseguimos agradar a toda a gente e quando subimos muito, somos alvos a abater por uma série de pessoas, muitas vezes, com posições influentes. Contra esses não podemos fazer nada, porque a maldade e a inveja são coisas que não controlamos, mas é bom ver o carinho que o público tem por mim e pelo meu trabalho e só por isso, vale a pena.

Graças à sua determinação, assinala este ano 25 anos de carreira. Em Setembro comemoro 25 anos, uma data especial que vou assinalar com um evento especial. Quando eu comecei ninguém me entendia porque eu era diferente, mas essa diferença fez-me entrar no mundo da moda em Paris e ser respeitada por isso. É pena que o nosso país precise que os portugueses dêem provas lá fora para serem respeitados cá.

Calçado em Milão

Depois de receber o prémio que a elege ‘Personalidade Cinco Estrelas’ na moda portuguesa, Fátima Lopes parte em direcção à cidade de Milão, Itália, onde vai mostrar a nova colecção de calçado Outono/Inverno 2017/2018, de 12 a 15 de Fevereiro.

A primeira exposição pública acontece na mais importante feira internacional de calçado – MICAM - onde estão concentrados os principais agentes e compradores do sector.

“É a segunda colecção que estou a internacionalizar e o objectivo é levá-la a todo o Mundo, daí que esta presença na MICAM seja fundamental para que tal aconteça”, diz ao DIÁRIO a criadora que faz parte da comitiva da APPICAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes e Artigos de Pele - e que tem a segunda maior presença estrangeira nesta feira, logo atrás da vizinha Espanha.

Nesta segunda participação de Fátima Lopes na feira de calçado, a designer leva um moderno e atraente stand que ficará situado logo à entrada do pavilhão dedicado à moda de luxo. “Em termos de posicionamento, é espectacular estar entre os primeiros expositores porque o impacto é maior e a visibilidade é melhor”, explica, dizendo ainda que dois dos seus modelos de sapatos foram escolhidos para integrar o desfile de calçado organizado pela feira.

A anterior colecção foi vendida sobretudo a compradores europeus, mas desta vez a ideia é expandir os mercados e entrar na Austrália, nos Estados Unidos e nos países do Médio Oriente, aproveitando o facto da etiqueta ‘Made in Portugal’ significar, cada vez mais, qualidade e prestígio.