Equipa dá confiança para vencer no Seixal

Costinha tem todo o plantel à disposição e acredita numa boa resposta da equipa

13 Ago 2017 / 02:00 H.

O treinador do Nacional, Costinha fez ontem a antevisão ao jogo de logo à tarde diante do Benfica B, referente à segunda jornada da II Liga, mostrando-se confiante na vitória.

“Fizemos uma excelente semana de trabalho e os jogadores empenharam-se ao máximo, pelo que estou confiante num bom resultado, que passa unicamente pela vitória”. começou por afirmar o técnico alvinegro.

Depois do empate na ronda inaugural, em casa, diante do Penafiel, Costinha já pensa no futuro e nos 37 jogos que terá pela frente neste campeonato longo da II Liga.

“Acho que a vitória não apareceu no primeiro jogo, muito devido a questões de pormenores. Ganhamos um ponto, e o mais importante agora é o próximo jogo, diante do Benfica B.”

“É claro que teremos pela frente um adversário difícil e onde nunca sabemos ao certo quais serão os escolhidos para jogar, pois, como sabemos uma equipa B tem sempre um plantel muito vasto e pode mudar com um ou mais jogadores. Contudo acredito no grupo de trabalho, e com concentração nos seus princípios com certeza que iremos alcançar um bom resultado”, concluiu o treinador nacionalista.

De referir que na manhã de ontem o plantel alvinegro cumpriu o último treino antes do duelo de hoje diante do Benfica B e onde o técnico contou com todos os jogadores à disposição. O treino foi repartido entre o Estádio da Madeira e o Campo do Centenário, tendo a sessão sido direccionado para questões de ordem táctica.

À partida para esta segunda jornada os alvinegros somam um ponto enquanto que a equipa B benfiquista vem de uma derrota na jornada inaugural, no reduto da UD Oliveirense por 1-2.

Adversário elogia Nacional

O técnico encarnado, Hélder Cristovão elogiou o Nacional, na antevisão ao jogo feita no dia de ontem, e espera um bom jogo no Seixal. Creio que vamos ter um bom jogo, com duas equipas a querer jogar o jogo pelo jogo, o Nacional com mais responsabilidade, porque uma equipa que desce no ano seguinte quer forçosamente subir”, concluiu o treinador que considera que jogar em casa pode ser um factor de motivação extra.