Entrada livre levou muitos a descobrir os museus regionais

19 Mai 2017 / 02:00 H.

O ‘Dia Internacional dos Museus’, assinalado ontem, abriu as portas dos museus da Região a toda a população gratuitamente e muitos puderam conhecer e desfrutar de tudo aquilo que é património regional através de visitas guiadas, conferências, ateliês e a exibição de filmes.

O Museu Militar da Madeira contou com a presença de muitos visitantes. Segundo o Sargento-ajudante Cardoso, há “sempre muito mais estrangeiros do que nacionais”. Diogo, um visitante que estava no museu, afirmou que, “nunca tinha visitado o museu” e na estreia, achou-o “um bocado pequeno”.

Já o Museu de Arte Sacra do Funchal apresentou duas pequenas exposições temporárias - “Visitantes indesejados: da infestação à conservação no museu”, e “visitantes indesejados: da infestação à conservação no museu” - com a colaboração do Museu A Cidade do Açúcar e com o Museu de História Natural da Madeira, que propôs a vinda de turistas e muitos madeirenses.

Os museus viveram ontem um dia de azáfama com inúmeras visitas de estudo de alunos como foi o caso da turma de 12.º ano da Escola Secundária Francisco Franco, do Curso Científico e Humanístico de Artes Visuais, que esteve lá a fazer um trabalho de apropriação, ao nível do desenho de um fragmento de uma das peças à escolha (na foto).

“É um exercício de desenho a partir da realidade que é esta do museu de arte sacra”, sublinhou Filipa Venâncio, professora de Artes Visuais e Desenho.

Ricardo Araújo, director do Museu de História Natural do Funchal, também fazia um primeiro balanço positivo. A meio da manhã, já se notava mais gente. Estavam previstas “visitas guiadas todas as horas”, sendo que a agenda estava “completamente cheia”, significado de “uma boa adesão e que as actividades” desenvolvidas “tiveram uma boa receptividade para as escolas e para a educação”.

Outras Notícias