Dois adultos e uma criança internados com gripe A

13 Jan 2018 / 02:00 H.

A gripe A é responsável pelo internamento de três pessoas, no Hospital Dr. Nélio Mendonça - dois adultos e uma criança de sete anos. A informação foi confirmada, ontem, ao DIÁRIO, pelo SESARAM. “Estão internadas três pessoas - dois adultos e uma criança - no Hospital Central do Funchal, com o vírus da gripe tipo A de várias estirpes. As situações estão a ser devidamente acompanhadas e têm revelado uma evolução positiva, à excepção de um adulto, sexo feminino, que inspira mais cuidados.”

O serviço de saúde garante que foram “adoptadas as medidas recomendáveis, nestas situações, para a protecção da saúde e da segurança dos doentes, familiares, e profissionais” e desdramatiza ao lembrar que “esta é uma situação previsível, para esta época, e que correspondem aos primeiros casos de gripe registados na Região Autónoma da Madeira, neste ano”.

O SESARAM diz estar preparado para a situação actual e para um agravamento no número de casos. “Os serviços de saúde estão preparados para prestar os cuidados necessários, caso sejam registados mais casos de gripe nos próximos dias. Existe um plano de contingência da gripe, que será activado caso se verifique o aumento da actividade gripal.”

À semelhança do que está a acontecer a nível nacional, o SESARAM reafirma o pedido feito para que os utentes do serviço procurem as urgências hospitalares em casos verdadeiramente graves. Nos demais, a opção deve ser pelas consultas nos centros de saúde. “Recomendamos à população que em caso de doença aguda, (pouco urgente), os utentes devem, no primeiro momento, recorrer ao centro de saúde da sua área de residência, e solicitar atendimento através das consultas de recurso, vagas do dia, consulta aberta (apenas no caso do Centro de Saúde de Santo António e Bom Jesus) e/ou nos centros de saúde com serviço de atendimento urgente. A população deve recorrer ao Serviço de Urgência hospitalar apenas em situações graves e/ou urgentes” um apelo na convicção de que, se for devidamente correspondido, “possibilitará uma melhor resposta na prestação de cuidados”.

A nível nacional, apesar das confusões, que têm sido registadas nos serviços de urgências de vários hospitais, por todo o País, ainda não terá sido atingido o pico do surto gripal. As previsões da DGS - Direcção Geral de Saúde, que é dirigida pela madeirense Graça Freitas, são de que esse pico venha a acontecer no final deste mês.

Como o DIÁRIO noticiou, nesta semana, na Madeira foram administradas 33 mil vacinas de imunização contra a gripe, mas ainda existem cerca de 1.500 por administrar. Neste ano, a DGS previu que a gripe fosse especialmente agressiva, por se antecipar muitos casos de uma estirpe mais complicada.

Outras Notícias