Uma canção infantil deve ser alegre e ternurenta

Rui Gonçalves Silva gosta de ajudar as crianças através da música

25 Jan 2018 / 02:00 H.

Foi ontem apresentado o livro ‘Aprender’, o terceiro volume da ‘Colecção 20’ que resulta de um projecto da Secretaria Regional da Educação e pretende reunir músicas dos diversos Festivais da Canção Infantil da Madeira, realizados nos últimos 30 anos.

A apresentação decorreu na Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar da Nazaré e esteve a cargo de Rui Gonçalves Silva, letrista frequente dos festivais da canção que se sentiu “honrado” por representar todas as pessoas que contribuíram para esta obra.

‘Aprender’ junta 20 músicas, 20 poemas, 20 ilustrações e um CD com 20 vozes, acompanhadas pelo coro infantil. São canções dos festivais infantis mais antigos, que segundo Rui Gonçalves Silva, foram feitas “com carinho por autores que nunca ganharam nada em troca”, para que esse trabalho fique na história.

Dirigindo-se à plateia composta por crianças do primeiro ciclo, o letrista explicou que escreve letras de canções há muitos anos, onde muitas nasceram das brincadeiras com os filhos. Revela que se inspira muitas vezes na sua infância para escrever letras e por isso aposta no cavalinho de pau, nos palhaços, no circo, nos animais e nas palavras doces como pai e mãe, por achar que uma canção infantil deve ser alegre e ternurenta, defendendo que o objectivo da vida é “ver crianças felizes através da música que tem sons e palavras e permite uma aprendizagem de forma divertida”.

Pedro Frazão, do Grupo Sousa, diz que é uma honra apoiar este projecto desde 2014 e enaltece o trabalho das crianças, dos autores e dos compositores pela criatividade e empenho, salientando que o Grupo Sousa “tem muito gosto em apoiar esta iniciativa, que vai já no terceiro volume, e permite que este trabalho perdure no tempo.

Outras Notícias