Europeu de bridge é um investimento gratuito

XX Open de Bridge da Madeira chegou ontem ao fim mas já se olha para o futuro

13 Nov 2017 / 02:00 H.

Chegou ontem ao fim o XX Open Internacional de Bridge da Madeira, em clima de festa, com a entrega de prémios, seguido de um espectáculo de fogo-de-artíficio e jantar de encerramento.

“Há que manter este grupo, continuar a melhorar, aumentar o ‘staff’, investir em mais recursos humanos e acompanhar o crescimento que temos tido ao nível do prize-money”, apontou ao DIÁRIO, Miguel Teixeira, o presidente da Associação de Bridge da Madeira, entidade promotora do festival, que já olha para o futuro.

Para além do sucesso interno, este ano o Open Internacional de Bridge foi acompanhado por centenas de curiosos, através de transmissões online. “Tivemos muitos espectadores a assistir, de todos os cantos do mundo”, revelou o dirigente, para quem o balanço ao torneio é evidentemente positivo. “Nunca nestes vinte anos tive tanta gente a vir ter comigo a agradecer e a garantir que vai organizar grupos para voltar para o ano. As pessoas estão super-satisfeitas e é isto que me faz manter a chama acesa e de tentarmos ser sempre melhores. É muito, muito gratificante ouvir as pessoas dizerem bem do torneio”, vincou.

O XX Open Internacional de Bridge voltou a bater o recorde de participantes, o que acontece, de forma consecutiva desde 2005. “Podemos ainda crescer cerca de 10 a 15% em número de participantes. Mas não queremos passar, nas condições que temos actualmente, os 250 pares”, explicou.

Proposta tentadora

Os elogios à organização foram muitos, comprovados pela reportagem do DIÁRIO, ao longo da competição. “Até um jornalista holandês que está cá connosco desafiou-nos a organizar o Bermuda Bowl [Campeonato Mundial de Bridge] para o ano, uma vez que já não se vai realizar na Holanda, pois considera que temos a melhor organização que tinha visto. Obviamente que as nossas atenções são outras neste momento. Mas é sempre bom perceber que a nossa organização é valorizada, até para quem vai com frequência a essas provas de nível mundial”, salientou.

Vem isto a propósito a eventual realização do Campeonato da Europa de Bridge de 2020 na Madeira. “Vamos desenvolver este assunto nos próximos dias. Já temos agendada uma reunião com a senhora secretária do Turismo para falarmos deste assunto e estou certo que vai haver vontade política de se fazer o evento, mesmo sabendo de que estamos a falar de valores elevados mas que tem retorno imediato. Fazendo contas rapidamente, vamos ter na Região 700 a 800 pessoas ao longo de 10, 11 dias, portanto se deduzirmos o IVA, aquilo que estamos a pedir ao Governo para contribuir é um investimento gratuito”, defendeu Miguel Teixeira, apontando que são necessários cerca de 250 mil euros. “É uma questão política, as entidades que são responsáveis pela promoção da Região vão saber ler esta excelente oportunidade. Bastaria que cá viessem para perceberem aquilo que digo, falando com as pessoas que nos visitam e se aperceberem da grandiosidade que isto tem e do que quanto mexe em termos económicos. Infelizmente, foram poucos que o fizeram”, lamentou.

Outras Notícias