“Descobri aqui o paraíso”

11 Nov 2017 / 02:00 H.

A 26.ª edição do ARTOUR-O il Must enriquece por esta altura alguns pontos da baixa do Funchal, tendo feito embarcar cerca de 100 peças artísticas desde Génova até à capital madeirense.

Esta cidade italiana até partilha uma história adocicada com a Madeira, isto porque o porto de Génova era um dos pontos comerciais utilizados na rota da Cana de Açúcar, factor que reforçou a vontade de Tiziana Leopizzi promover o evento na Região.

O ponto de partida foi dado ontem no Colégio dos Jesuítas pela Ellequadro Documenti, associação sem fins lucrativos que está por detrás deste encontro. Até segunda-feira irão haver 12 espaços dedicados a temáticas de vários tipos, desde a pintura, poesia, ciência, palestras, música, entre outros.

“Não olhamos apenas para a arte contemporânea, mas para toda a sua história. Estamos muito orgulhosos de ser um país que tem este tipo de sensibilidade”, disse Tiziana Leopizzi, enaltecendo o primeiro contacto com a ilha: “Descobri aqui o paraíso”.

A presidente da associação afirmou que percorreu “vários pontos do Mundo” para a decidir onde realizar esta edição e “o Funchal foi o melhor, porque é muito idêntico a Florenza. Tudo está ao alcance de todos e podemos visitar as actividades a pé”, elucidou.

O Museu de Arte Contemporânea na Calheta captou igualmente a atenção de Tiziana Leopizzi, exclamando que no MUDAS existe “uma identidade muito forte” e que nunca viu “algo semelhante”.

“Há técnica, inovação e um gosto refinado que é difícil de encontrar, porque se vamos a outros museus contemporâneos, como em Londres ou Paris, tudo é violento e cheio de dor, o que na minha opinião não é arte”, mencionou.

Inspirados pela versatilidade de Leonardo Da Vinci, “o grande líder da mente de todos os artistas”, a viagem até à Madeira permitiu universalizar uma linguagem já de si ecléctica.

Interacção frutífera

Elsa Fernandes, vice-reitora da Universidade da Madeira, estava igualmente presente na sessão de abertura, enaltecendo que “os alunos da UMa expõem as suas obras neste evento, interagindo com os artistas” e que desse contacto “nascem ideias novas e diferentes”. O encontro é então “importante”, dado que esta instituição passa a ser “um centro onde se desenvolve cultura”.

Por seu turno, Valentina Vezzani, directora do curso de Design da UMa, destacou a importância “do acreditar”, ainda para mais quando “estamos a comunicar para fora, pois precisamos de influências para activar o processo inovador”, necessidade que é imperativa pois “nem todos os jovens têm possibilidade de viajar”.

Câmera do Comércio, Design Centre Nini Andrade Silva, Esboço Interiores, Glamour Arcade, Pestana CR7, Museu da Electricidade, Museu do Açúcar, Museu do Brinquedo, Museu Henrique e Francisco Franco, Avenida do Mar e Teatro Baltazar Dias são os outros 11 pontos culturais do ARTOUR-O il Must.

Outras Notícias