Consternação solidária

Luto nacional leva Parlamento da Região a suspender trabalhos. CMF e Governo reagem

19 Jun 2017 / 02:00 H.

Primeiro a Câmara Municipal do Funchal (CMF), depois a Presidência do Governo Regional e, por fim, a Presidência da Assembleia Legislativa da Madeira, lamentaram o sucedido em Pedrógão Grande.

Numa nota publicada na sua página no Facebook, a CMF solidarizou-se com as populações afectadas pelos incêndios na zona. A autarquia liderada por Paulo Cafôfo lembrou a solidariedade nacional aquando dos incêndios de Agosto do ano passado.

“O Município do Funchal endereça a maior solidariedade aos familiares e amigos das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande”, frisa. “Da mesma forma que em 2016 sentimos o coração dos nossos concidadãos do continente, podem nesta hora contar com o Funchal para a ajuda possível. Uma palavra para a Autarquia de Pedrógão Grande, bem como às corporações de Bombeiros que dão o seu melhor nestas horas difíceis”, conclui.

Já o comunicado do Governo Regional, assinado pelo presidente Miguel Albuquerque, manifestou “em nome do povo madeirense e porto-santense, (...) o seu profundo pesar pelas vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, em Leiria, e endereça às famílias afectadas a sua solidariedade neste momento de dor e consternação”.

No texto, acrescenta o Executivo madeirense, deixa “uma palavra de apreço aos elementos ligados à Protecção Civil, em particular aos membros das várias corporações de bombeiros, pelo esforço notável demonstrado neste momento particularmente difícil”, concluiu.

Por fim, mais tarde, o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira emitiu uma nota no qual “manifesta o seu profundo pesar pelas vítimas dos violentos e mortíferos incêndios”, acrescentando que “neste momento de profunda consternação, os madeirenses, que têm na memória o pesadelo dos incêndios verificados na Região no verão passado, expressam a sua solidariedade a todos os atingidos por esta brutal tragédia nacional e associam-se à sua dor”, frisa Tranquada Gomes.

Nota informativa também para a suspensão dos trabalhos no parlamento. “Tendo sido decretado luto nacional pelo período de três dias, com início hoje (ontem), pelas vítimas dos incêndios no município de Pedrógão Grande, o Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira informa que, nos termos do n.º 1 do artigo 60.º do Regimento da Assembleia, não se realizará o Plenário agendado para o próximo dia 20 de Junho, 3ª feira”.

Outras entidades regionais não deixaram passar o ocorrido. As autarquias de Santa Cruz, Câmara de Lobos e Porto Moniz foram as únicas a reagir ao longo do dia.

-- Reacções dos partidos --

PTP e o país de luto

“Foi com grande angústia e consternação que a Região Autónoma da Madeira assistiu ao incêndio florestal”, frisa o PTP, em comunicado. “Uma tragédia sem precedentes em Portugal, de uma violência atroz para com as populações afectadas. Muito superior aos incêndios que ocorreram na Madeira, os quais deixaram profundas marcas”, lembra. “O país está de luto!”.

JPP expressa pesar

O Movimento Juntos Pelo Povo (JPP) “associa-se, com pesar e consternação, à situação calamitosa do incêndio de grandes dimensões que devastou Pedrógão Grande”, acrescentando em comunicado que “estamos na presença de uma situação, sem paralelo, em Portugal; um momento de luto nacional, com significativo impacte na vida quotidiana dos portugueses”, solidarizando-se com as famílias das vítimas.

PPM lembra passado

O PPM Madeira emitiu um comunicado demonstrando a sua solidariedade. “Lamentamos o sucedido. É uma tragédia igual a outras que também já passámos na Região e que é sempre triste para todos os portugueses”, referem, acentuando que “não se trata de fazer política, mas sim de alertar que é necessário fazer mais para que situações destas não voltem a acontecer”.

Nós, Cidadãos lamenta

O Nós, Cidadãos da Madeira e Porto Santo foi um dos partidos a reagir, manifestando “um profundo pesar perante a perda de tantas vidas no incêndio florestal”, acrescentando: “Os nossos pensamentos e solidariedade estão com as vítimas desta tragédia e com as suas famílias (...) Face ao ocorrido, verificamos que lamentavelmente ainda há muito para fazer para impedir este tipo se situações.” Deixam ainda uma palavra aos incansáveis bombeiros.

-- Reacções dos políticos --

“As palavras são poucas para a dimensão da tragédia... O país está de luto perante a enorme tragédia em Pedrógão Grande. Os números de mortos não param de subir e a ansiedade e tristeza invade toda a gente . Nestes momentos difíceis, que os madeirenses conhecem bem, é preciso ajuda e solidariedade...”

Carlos João Pereira - PS

“É com enorme consternação que temos vindo a assistir aquele que será, porventura, o maior drama ocorrido em Portugal como consequências de incêndios florestais. Os meus pêsames aos que perderam os seus familiares e uma palavra de solidariedade e de conforto a todos os que ainda lutam para acabar com este flagelo.”

António Lopes da Fonseca - CDS

“Uma tragédia de enormes proporções consterna o país. Hoje não há espaço para outras discussões. Os mortos e as famílias das vítimas dos incêndios no distrito de Leiria merecem o nosso recolhimento, pesar e profundo respeito. Estou sem palavras!”

Roberto Almada - BE

“Não consigo tecer qualquer reflexão sobre o sucedido, mas sobressai-me de repente que somos o país onde ocorrem mais incêndios, todos os anos, na Europa, e que andamos a debater as suas causas há décadas!! Hoje é em Pedrógão, ontem foi na Madeira e repete-se anualmente em tantas localidades do país!”

Silvia Vasconcelos - CDU

“Que noticia tão triste. Inacreditável mesmo. A solidariedade é o que agora podemos expressar para com as vítimas desta tragédia. É um alerta para todos nós fazermos a nossa parte, na limpeza e na prevenção de comportamentos de risco de incêndio.”

Josefina Carreira - PSD

“Isto traz-nos memórias terríveis... que fatalidade!!! Como é que é possível 57 vidas ceifadas pelo fogo? O nosso coração está com as populações do Pedrógão sobretudo com os familiares das vítimas que pereceram nesta tragédia...”

Raquel Coelho - PTP