Condenado a pagar 600 euros mata a tia à facada

Crime em Machico eleva para quatro os homicídios ocorridos este ano na Madeira

19 Mai 2017 / 02:00 H.

Uma mulher com 66 anos foi ontem de manhã esfaqueada mortalmente dentro da própria casa, em Machico. O suspeito é um homem com 52 anos, vizinho e sobrinho da vítima, que foi detido pela PSP pouco depois de fugir do local.

Há algum tempo que o ambiente entre os vizinhos dos números 5 e 7 do Beco do Serrado do Gato, no centro da cidade de Machico, que não dista mais de 50 metros da Esquadra da PSP local, ameaçava resvalar para um desfecho trágico.

Vizinhos relataram à reportagem do DIÁRIO que as discussões e ameaças eram frequentes por parte do sobrinho que manifestava comportamentos repugnantes, resultantes do desentendimento familiar, da má vizinhança, mas também de uma eventual perturbação psíquica: urinava e chegava a atirar as fezes para o quintal da vítima.

Terá sido na sequência de um desses episódios que a tia decidiu deslocar-se à esquadra da PSP para apresentar queixa-crime por maus tratos, tendo o sobrinho sido intimado pela PSP e indiciado no âmbito do inquérito.

O processo judicial decorreu em sede própria e o suspeito foi condenado a pagar 600 euros a título de indemnização. Uma situação que fez reacender a ira e reinstalou a má vizinhança.

Tudo indica que o crime de ontem aconteceu num contexto de represálias. O homem de 52 anos irrompeu pela casa da tia com o objectivo de confrontá-la a propósito de uma alegada nova queixa que a sexagenária terá apresentado à Polícia. Muniu-se de uma faca de cozinha e desatou a agredi-la, enfrentando a oposição do tio, também de 66 anos, que foi quem, ensanguentado, acorreu à esquadra da PSP para pedir auxílio. Quando a Polícia e os meios de socorro chegaram ao local, a vítima tinha a faca espetada no abdómen e já não apresentava sinais vitais.

O autor do crime fugiu mas foi capturado pouco depois pela PSP. Tal como o tio, o suspeito teve de receber tratamento médico, mas ambos já tiveram alta.

De acordo com vizinhos, a falecida vivia sozinha com o marido e tinha três filhos, um dos quais emigrado. Na porta do lado, paredes meias, o agressor residia com um irmão.

A investigação está a ser conduzida pela Polícia Judiciária do Funchal. O arguido recolheu aos quartos de detenção e deverá hoje ser presente ao primeiro interrogatório judicial.

O assassinato de ontem em Machico eleva para quatro o número de homicídios ocorridos desde o início do ano na Madeira, três dos quais vitimando mulheres em contextos de violência familiar.

Outras Notícias