“Com todo o respeito”

Daniel Ramos alerta para as dificuldades da taça, mas assegura vontade de vencer

06 Dez 2017 / 02:00 H.

O Marítimo joga, esta tarde (16h00) a passagem aos quartos-de-final da Taça de Portugal, na recepção ao Cova da Piedade, em jogo antecipado da quinta eliminatória da segunda mais importante prova do calendário futebolístico nacional.

O adversário joga na II Liga, pautando-se nos últimos lugares do seu campeonato, mas o Marítimo estará avisado, até pelas dificuldades intensas que sentiu nas duas eliminatórias anteriores da Taça de Portugal frente a equipas do Campeonato de Portugal, em que, no caso do jogo com a AD Oliveirense, esteve mesmo com um pé fora da competição. “Estes jogos da Taça de Portugal contra equipas de divisões inferiores, vejo-os como jogos em que torna-se premente levar em conta o adversário e ter por ele o maior respeito”, alerta deixado por Daniel Ramos na abordagem à partida desta tarde.

O treinador do Marítimo avança que “nem houve muito tempo para preparar este jogo”, mas logo refere que a grande preocupação teve a ver com “o nosso trabalho de casa”. “Sabemos mais ou menos as valências do Cova da Piedade, que tem muitos jogadores experientes e com muitos jogos de II Liga, que mudou de treinador, apresentando melhorias desde então. Estamos todos informados disso e da forma como joga o Cova da Piedade, mas também, como é naturalmente legítimo e até em presença das ambições do Marítimo, podemos assegurar que temos condições para ganhar e passar à próxima eliminatória da Taça de Portugal”, diz em análise o técnico maritimista

Daniel Ramos não esconde que a equipa vem produzindo menos nos mais recentes jogos para a Liga e, depois de dois empates, importa regressar às vitórias. “Mas melhorar também a qualidade exibicional. Todos nós percebemos que já fizemos melhor e, por isso mesmo, queremos voltar ao registo que nos caracterizou e mantê-lo em termos de futuro”, sublinha.

Para o Marítimo a prioridade é o campeonato, mas a Taça de Portugal assume o segundo lugar na hierarquia das prioridades verde-rubras. “Ainda é cedo para traçar uma meta, mas queremos chegar o mais longe possível na Taça de Portugal. Mesmo na Taça da Liga, que tem servido para rodar jogadores, temos as nossas possibilidades em aberto”, conclui o técnico.

Outras Notícias