Ciclismo distinguiu

02 Dez 2016 / 02:00 H.

A época do ciclismo madeirense fechou com a realização de uma Gala, na qual foram distinguidos os melhores da época, nas diversas vertentes da modalidade, e premiados aqueles que mais se notabilizaram em diferentes áreas, como foram os casos de Diogo Santos, do Valour, considerado o atleta revelação de 2016, Paulo Sousa, presidente do Ciclo Madeira, intitulado dirigente do ano, Daniel Pombo, do Ciclo Madeira, considerado a personalidade do ano, e Paulo Vieira, que recebeu o prémio carreira.

O ano de 2016 fechou em grande, com um aumento da demografia federada, com cerca de 380 atletas, 12 clubes filiados e um total de 50 provas organizadas, uma delas com cariz internacional.

“Para além de tudo isto tivemos alguns resultados bastante interessantes, como por exemplo o título de vice-campeão do Mundo obtido pelo Daniel Pombo, em Masters, o título de campeão da Taça de Portugal de Enduro conquistado pelo Emanuel Pombo, e ainda o título de campeã nacional de Enduro garantido pela Ana Carolina Costa. É algo que nos apraz, uma consequência natural da evolução da modalidade”, congratulou-se o presidente da Associação de Ciclismo da Madeira, António Alves, para quem o mais importante para 2017 é a consolidação de tudo o que foi alcançado este ano. “Queremos consolidar aquilo que está a ser feito, não dando passos maiores que as pernas, repetindo o que fizemos este ano, mas perspectivando voos mais altos”, disse, recordando que em 2017 a Madeira voltará a receber a prova internacional de Downhill.

“Segundo a crítica foi as melhores provas que se realizaram, algo que nos deixa muito satisfeitos. É fruto da nossa dedicação e trabalho”, destacou.

António Alves salientou ainda que haverá uma “forte aposta na formação”. “Tudo isto não tem sentido se não tivermos uma continuidade na modalidade, que será dada pelos futuros atletas. Vamos criar condições para que mais crianças venham para a modalidade, nas suas diversas vertentes”, disse.

Outras Notícias