“Candidatura siamesa” desafiada para debate

Apoiantes de Carlos Pereira exigem frontalidade na luta interna

06 Dez 2017 / 02:00 H.

Carlos Pereira quer debater ideias e projectos para o PS-M e para a Madeira com a “candidatura siamesa” de Emanuel Câmara e Paulo Cafôfo. O desafio é lançado pelo presidente da comissão executiva da candidatura do actual líder dos socialistas madeirenses, Carlos Jardim, que também convida a comunicação social a organizar o confronto de ideias.

Carlos Jardim entende ser crucial que o debate seja com os dois autarcas, em simultâneo, “dado que na candidatura adversária e siamesa um é candidato ao PS mas não ao Governo Regional e outro ao Governo Regional mas não ao PS”. “Com dois só fazemos meio debate”, refere.

A concretizar-se o debate ajudará a dissipar dúvidas. “Irá contribuir para que os militantes votem em consciência e de forma esclarecida”, explica, adiantando ser importante que “os candidatos confrontem as suas ideias e projectos para o PS e para a Madeira. “É assim que se faz em democracia. Sendo que na candidatura adversária são dois candidatos numa candidatura, é crucial que os três debatam, frente a frente, as suas ideias e projectos. É o que se exige de pessoas responsáveis, corajosas e frontais”, opina.

Para a Comissão Executiva que tem como missão preparar a recandidatura de Carlos Pereira, a não realização de um debate entre os candidatos implica “transformar esta oportunidade de esclarecimento e transparência democrática, em mais um exercício de baixa política, caciquismo e luta por lugares políticos remunerados”. Se assim for é mau sinal. Carlos Jardim julga que “os militantes e todos os madeirenses e porto-santenses merecem mais, muito mais.”. E acrescenta: “Merecem respeito, esclarecimento e coragem política”, até porque, em jogo, está sobretudo o futuro da Região e não apenas do PS-M. Daí que “em nome da candidatura de Carlos Pereira julgamos da maior urgência um esclarecimento público e aos militantes, mas também à população da Região, das diferenças que norteiam as duas candidaturas e para mostrar quem está melhor preparado para presidir ao PS-M e governar a Região”.