Cada um tem a sua beleza

Natália Soares, modelo

20 Set 2017 / 02:00 H.

O gosto pela moda nasceu quando era muito pequenina, através da televisão, ao ver modelos como Adriana Lima desfilar nas passarelas. Hoje, Natália Soares cumpriu um sonho que nasceu consigo no Brasil, antes de embarcar rumo à Madeira quanto tinha cinco anos de idade, trazendo então consigo na bagagem a inspiração da ‘musa’ brasileira.

“A minha mãe sempre me apoiou neste sonho e foi alguém que ficou do meu lado. Digamos que a vontade em ser modelo nasceu comigo e tive as pessoas certas do meu lado”, disse Natália Soares, de momento em férias na terra que a viu crescer para o mundo da moda, antes de rumar à Alemanha, onde há cerca de dois anos internacionalizou a sua carreira.

“Tenho muitas saudades da Madeira. Há sempre aquela vontade em ir querer beber um sumo junto à praia ao cair da noite, que é algo que não posso fazer na Alemanha, porque o clima é muito diferente”, lamentou a modelo de 20 anos.

Natália Soares desfilou no Funchal Fashion Week, no passado fim-de-semana, algo que considera um exemplo da dimensão da Madeira neste momento. “Há coisas muito grandes a acontecer por cá e neste momento ultrapassa todas as expectativas”, rejubilou a modelo.

Caso não enveredasse pela área da alta-costura, a jovem “ia ser arquitecta ou veterinária”, estudos que não coloca de parte em prosseguir no futuro, embora esses horizontes passem agora por “estudar algo a ver com a moda”.

Quanto à Madeira, Natália Soares começou por referir que admira vários criadores, classificando-os como “muito bons” e acrescentando que não sabe “se seria capaz de fazer algo tão belo”. Já em termos de visibilidade, “na Madeira é óbvio que não conseguiria chegar a fazer trabalhos” como o anúncio para umas meias “da diva Cláudia Schiffer”, algo que “embora não tenha dado a cara, foi gratificante”.

Experiência na Alemanha

A experiência no centro da Europa, para onde partiu com 18 anos, “está a correr bem”, embora não tenha sido uma decisão fácil de tomar, tendo o factor financeiro pesado claramente nesta balança. “A ideia passa por ter mais lucro, quebrar mais uma barreira e ir até ao próximo nível”, esclareceu a modelo, mostrando interesse em querer “viajar por mais países e internacionalizar” a sua carreira.

Na Madeira é agenciada pela 4Affection e na Alemanha pela Talents Models Munich e nos próximos tempos irá viajar por alguns países em trabalhos relacionados com a moda, tal como fez neste seu regresso à Madeira, de onde irá partir no próximo dia 23 de Setembro.

“Quero continuar ligada à moda, mantendo a minha forma e comendo de forma saudável”, afirmou Natália Soares, que se caracteriza como “um urso”, porque adora dormir, para além de gostar de cantar e dançar, os seus três hábitos predilectos.

E falar em moda é o mesmo que puxar pelo assunto dos atributos. No entender de Natália Soares, e por experiência própria, a modelo nem sempre sente que tenha todos os atributos. “Varia muito dos clientes, que procuram sempre algum tipo de característica diferente nas modelos. Por exemplo, hoje em dia procuram raparigas pálidas e sei que assim não posso agradar a todos”, lamentou a luso-brasileira, confessando que “dá vontade de parar”, mas logo pensa em não se comparar com as outras modelos.

“Vou agradar a quem gosta de mim” é então o pensamento da jovem que está a encantar de momento toda uma comunidade, numa história que ainda vai no início.