Bridge com direito

open de bridge da madeira apresenta várias surpresas e um recorde de participantes

01 Nov 2017 / 02:00 H.

A 20.ª edição do Open Internacional de Bridge da Madeira, que se realiza de 6 a 12 de Novembro, vai oferecer surpresas às várias centenas de visitantes, a principal das quais um espectáculo de fogo-de-artíficio, previsto para as 20h45 do último dia do festival.

O evento foi ontem apresentado no Hotel Vidamar Resorts Madeira, onde voltará a decorrer a acção, oportunidade para o presidente da Associação de Bridge da Madeira (ABM) agradecer os patrocinadores, públicos e privados, a quem pediu mais apoio, sobretudo com presença no local. “Era bom que falassem com os jogadores para perceberem a realidade. Tenho notado a falta das entidades públicas, que não nos visitam ao longo do torneio e não percebem o que isto mexe”, disse Miguel Teixeira, em tom de “crítica construtiva”.

Com um orçamento bastante superior ao de anos anteriores, na ordem dos 125 mil euros - o ano passado foi de 85 mil euros, o dirigente apontou o caminho. “Fizemos um grande esforço em termos de equipamentos para termos um torneio, em ano de aniversário, à altura da qualidade que temos apresentado a todos os participantes, este ano com muitas inovações”, disse o presidente da ABM, informando que, com base nas informações que tinha na altura, tudo aponta para que o Open venha a ter um novo acréscimo de jogadores.

“Desde 2005 que o torneio tem vindo a crescer. Este ano também vamos crescer mas ainda não tenho a certeza se vamos chegar aos tão desejados 200 pares. No entanto, não andaremos aquém desse número”, garantiu, dando conta que só no hotel onde irá decorrer a competição estão confirmadas cerca de 1.400 dormidas de intervenientes no torneio.

Miguel Teixeira sublinhou ainda que o Open Internacional de Bridge da Madeira “já bateu todos os recordes em termos nacionais”. “Somos pioneiros em quase tudo e este ano vamos, se calhar, bater o único recorde que nos falta bater, que é o do maior torneio de pares, que foi alcançado há 15 anos no Estoril, noutros tempos, bem menos complicados”, frisou. “Sou suspeito mas este é um dos melhores torneios que existe na Europa. Felizmente isso é expresso pelas pessoas que nos visitam, inclusive por parte dos melhores jornalistas do mundo, que muito e bem escrevem sobre a Madeira”, acentuou.