Bocas-de-incêndio inoperacionais devem ser denunciadas

Rubina Leal apela aos funchalenses para que reclamem na Câmara em nome da prevenção

13 Jul 2018 / 02:00 H.

Rubina Leal apelou à população para que reclame, junto da Câmara Municipal do Funchal (CMF), dos marcos de incêndio ou das bocas-de-incêndios que não estejam operacionais.

“Eu apelo a todas as pessoas, nomeadamente aquelas que vivem mais junto às zonas altas e que tem ao seu redor terrenos rústicos que podem colocar em perigo as suas habitações, que se desloquem ao Município e que apresentem uma reclamação dos marcos de incêndio ou das bocas-de-incêndio que não estão a funcionar, pois avizinha-se a época mais quente do ano e é fundamental que esteja tudo operacional para prevenir qualquer situação de perigo”, disse a vereadora do PSD na CMF.

Depois de percorrer vários locais das zonas altas do Concelho, Rubina Leal constatou que passados dois anos dos incêndios do Verão de 2016 existem muitos marcos e bocas-de-incêndios que não estão operacionais. Por outro lado a autarquia também não distribuiu os kits de Proteção Civil nem deu formação à população, conforme havia anunciado.

“Foi anunciado em Fevereiro por este executivo da CMF que iria distribuir kits de Proteção Civil, que iria dar formação à população para que esta soubesse como actuar numa primeira fase de resposta a situações de catástrofe, o que até agora não aconteceu”, apontou a social-democrata.

Recorde-se que segundo o POCIF, a época de alerta máxima é de 15 de Junho a 15 de Outubro podendo este período ser alargado de acordo com as condições atmosféricas. “No entanto até o momento a CMF não tem acompanhado esta preocupação que é de todas as pessoas.”

Rubina Leal considera, “inadmissível” que em zonas tão importantes, onde é necessária uma intervenção rápida e permanente o executivo de Paulo Cafôfo tenha uma atitude de “completa displicência.”

Outras Notícias