Atentado mata em Paris

Paris /
21 Abr 2017 / 02:00 H.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou ontem à noite o tiroteio nos Campos Elísios, em Paris, em que morreu um agente policial e o autor dos disparos, enquanto dois polícias ficaram gravemente feridos.

No entanto, outras informações não confirmadas à hora do fecho desta edição davam conta de que um dos polícias feridos também tinha falecido em consequência deste ataque.

A reivindicação surgiu num comunicado divulgado pelo órgão de propaganda do EI, a Amaq.

“O autor do ataque nos Campos Elísios, no centro de Paris, é Abu Yussef, ‘o Belga’, e é um dos combatentes do Estado Islâmico”, relatou a Amaq.

O anúncio da autoria do ataque surgiu muito rapidamente, o que não é comum para este grupo radical que está a perder território na Síria e no Iraque.

O ataque ocorreu pelas 21 horas locais. O autor dos disparos estava já identificado pelas autoridades como extremista e já tinha sido alvo de uma investigação por ter manifestado intenção de matar agentes policiais.

As autoridades estavam ontem à noite a realizar buscas na zona onde residia o homem, em Seine-et-Marne, perto da capital francesa.

A porta-voz da polícia, Johanna Primevert, disse que o atirador parecia estar sozinho quando disparou contra um veículo da polícia, com uma espingarda Kalashnikov (AK47).

O presidente francês, François Hollande, confirmou que as pistas apontam para um caso de terrorismo. “Estamos convencidos, as pistas que podem conduzir a investigação são de ordem terrorista”, afirmou o presidente, numa declaração ontem à noite, após uma reunião de emergência com o primeiro-ministro, Bernard Cazeneuve.

Hollande confirmou que um polícia morreu e dois outros ficaram feridos e afirmou que uma outra pessoa foi atingida, antes de o atacante ser “neutralizado por outros agentes”.

Toda o quarteirão foi bloqueado e as pessoas foram retiradas de suas casas, afirmou ainda o chefe de estado, garantindo que as autoridades mantêm “vigilância absoluta”.

“Todas as medidas que podem ser tomadas foram tomadas”, garantiu, explicando que decorrerá hoje uma reunião de emergência.

Outras Notícias