Entre o bullying e a esperança

Marco de Barros passou das redes sociais aos livros reais com uma história sobre dois amigos. A venda reverte para o Dançando com a Diferença

19 Mai 2017 / 02:00 H.

Habituado a publicar textos no Facebook sobre o quotidiano, a família, o passado e o presente, Marco de Barros lançou-se nos livros com ‘Menino’, uma obra publicada pela Chiado Editora, a apresentar no dia 2 no Clube Literário & Bar da Chiado Editora, na Avenida da Liberdade, em Lisboa e depois a nível regional no dia 2 de Junho, no âmbito da Feira do Livro do Funchal. Nas redes sociais escreve histórias reais, “sem filtro”. O livro tem alguma ficção, partindo de factos concretos.

Incentivado por amigos, este delegado de informação médica escreveu a história em dois meses. Marco de Barros nasceu na Venezuela, vive na Madeira, não frequentou o ensino cá. Aprendeu a escrever lendo, conta. “As pessoas dizem que eu escrevo como falo, e acham que a escrita é tão simples que é fácil de seguir. (...) As pessoas gostam dos textos que eu escrevo pela simplicidade”.

‘Menino’ conta a história de dois amigos que se conheceram no primeiro ciclo e logo ficaram próximos. A obra é também sobre violência. Fala do bullying que um deles sofreu enquanto crescia e de como o outro tentava ajudar a ultrapassar. Fala das consequências do bullying a longo prazo e das suas implicações na idade adulta “É uma história de amizade, é uma história sobre bullying, é uma história de esperança”, resume o autor.

O livro está baseado em factos verídicos, as personagens não são reais. É também um livro de alerta, para despertar consciências. “O livro fala das consequências do bullying a longo prazo e das suas implicações sociais. Porque são reais”. As pessoas que sofreram falam das dificuldades que elas têm em conviver com as outras pessoas, diz. “Tem a ver com as marcas dessa perseguição ao longo da infância e da adolescência”.

Embora não trabalhe nesta área, confessa a confusão de ver “pessoas alienadas dos grupos sociais quando não são iguais, quando não fazem parte do padrão”.

A venda do livro vai reverter na totalidade para o Dançando com a Diferença, um projecto que se enquadra perfeitamente neste livro, diz, na medida em que tem a ver com a diferença e com o criar consciência para a necessidade de aceitar que as pessoas não são todas iguais. “O Dançando com a Diferença é um projecto giríssimo porque tem cabeça, tem tronco, tem extremidades. É um projecto com uma intenção fabulosa”.

Os textos que tem publicado na Internet, aqui não entram. O autor revelou que vão ser compilados e apresentados num outro livro futuro.’

Outras Notícias