Alvinegros deixam ‘águia’ voar

Lisboa /
14 Ago 2017 / 02:00 H.

Dois golos de cabeça do avançado brasileiro Alan Júnior, aos 60 e 85 minutos, permitiram o empate 2-2 do Benfica B frente ao Nacional, em jogo da segunda jornada da II Liga de futebol, disputado no Seixal.

A equipa alvinegra, mais experiente e matreira, esteve em vantagem durante grande parte do duelo, sobretudo porque foi mais eficaz na altura de visar a baliza contrária, à excepção de uma grande penalidade desperdiçada por Ricardo Gomes, aos 73 minutos.

A jovem formação benfiquista entrou na partida em ‘alta rotação’, trocando bem a bola até à entrada da grande área madeirense. O problema esteve sempre na concretização.

Aos 28 minutos, e na sequência de um contra-ataque ‘clássico’, o Nacional inaugurou a contagem. O possante avançado Ricardo Gomes recolheu uma bola no meio-campo ‘encarnado’, livrou-se da marcação do defesa central russo Lystcov e cedeu-a no momento certo para o veloz ponta direita João Camacho, que, isolado, fez o 1-0.

O Benfica continuou vertiginosamente à procura da igualdade e conseguiu o empate aos 60 minutos. Canto apontado do lado direito e Alan Júnior, numa vigorosa cabeçada, bateu o guarda-redes Daniel Guimarães.

Mas, pouco antes, o avançado João Filipe rematou fortíssimo dentro da área e fez o esférico bater com estrondo na barra da baliza defendida por Daniel Guimarães.

Os insulares mostraram sempre ser um conjunto perigoso e objectivo quanto atacava. E o 2-1 surgiu ao minuto 69. Um golo que suscitou muitos protestos do banco encarnado. Com o defesa Francisco Ferreira caído no relvado, devido a lesão (acabou por ser substituído), a bola sobrou para Ricardo Gomes, que se isolou e rematou com êxito para a baliza das ‘águias’. O mesmo Ricardo Gomes, chamado a apontar uma grande penalidade aos 73 minutos, rematou para boa defesa do guarda-redes russo Ivan Zlobin. Na recarga, Elízio atirou de cabeça à barra.

As ‘águias’ continuaram a ‘voar’ para o ataque e valeu então o sentido de oportunidade e o bom jogo de cabeça de Alan Júnior para evitar o desaire, a cinco minutos do fim.

O cruzamento veio da direita por Heriberto Tavares e Alan Júnior estava no sítio certo e à hora certa.

Outras Notícias