Aluguer de luxo

Empresa investiu mais de meio milhão de euros para a aquisição dos carros de luxo

27 Nov 2017 / 02:00 H.

‘Faf Draiv, Unipessoal Lda’ acaba de completar dois meses de abertura ao público. É uma empresa que exerce a actividade em aluguer de veículos automóveis ligeiros e também na animação turística. Mas, os carros que podem ser alugados na loja ‘Unlim700’, pertencente à empresa, diferenciam-se pelas características luxuosas. “A ideia era criar um negócio que não existisse na Madeira, queríamos que fosse uma coisa única. Já existiam ‘rent-a-cars’ mas não com este tipo de carros e foi uma grande aposta criar uma ‘rent-a-car’ apenas com carros de alta gama”, esclarece Nuno Sousa, gerente do espaço.

Aliando o aluguer de carros à animação turística, a empresa tornou possível a realização de serviços nada tradicionais. Por exemplo, o cliente pode fazer uma ‘tour’ pela cidade, ou até mesmo pela ilha, com um motorista da empresa. “Até transferes desde o aeroporto até o Funchal costumamos fazer com estes carros de topo”.

No total, a empresa conta com nove carros, de cinco marcas luxuosas, um investimento que superou meio milhão de euros: três Chevrolet Corvette Stingray, dois Chevrolet Camaro, um Porsche Panamera 4S Diesel e dois Mercedes Benz Cabriolet. Todos os veículos são do ano de 2016 e foram adquiridos em primeira mão, estando equipados com GPS, Wifi a bordo e são de caixa automática.

“A ideia era comprar carros que não existissem cá na Região. Provavelmente, quase ninguém na Madeira tinha visto a maioria destes carros ao vivo e a cores. Às vezes, as pessoas deixam-se intimidar pela qualidade dos carros e têm medo de vir cá porque pensam que o aluguer de um carro destes vai ser um balúrdio, mas isso não é verdade. Temos carros que podem ser alugados a partir de 50 euros por hora. Imagine que tem aquele sonho de criança de querer conduzir ou experimentar um carro destes, acho que o preço que temos por este aluguer por hora, está bastante acessível”, sublinha.

O aluguer por hora foi desenvolvido por causa do mercado de cruzeiros. “Um passageiro de um cruzeiro que fique na Madeira durante quatro ou cinco horas poderá usufruir de um carro destes por um preço muito mais acessível do que se tivesse de pagar o preço de um aluguer diário”, explica Nuno. Neste tipo aluguer por hora, não é desenvolvido um seguro contra todos os riscos para o cliente. Porém, o mesmo tem de deixar uma franquia obrigatória de 2500 euros. “Neste caso, ficamos com o número do cartão de crédito do cliente e, se acontecer alguma coisa, retiramos alguma parte do valor, consoante a zona do carro”. Mas, para quem não tem cartão de crétdito, a ‘Faf Draiv’ deixa uma opção: “Nestas situações, o cliente terá de ser acompanhado por um funcionário da empresa para haver a certificação que corre tudo bem”, diz Nuno Sousa.

Já o aluguer por dia é diferente e varia entre 147 e 396 euros, sendo que neste caso já é feito um seguro contra todos os riscos. “Foi muito difícil a aquisição de seguros contra todos os riscos para este tipo de carro de alta cilindrada, por isso é preciso ter responsabilidade quando se vem alugar um carro deste género”.

Neste sentido, a empresa só trabalha com clientes que tenham, pelo menos, 23 anos e um ano de carta de condução, nos casos em que não são requisitados motoristas. “São esses os requisitos mínimos para termos alguma segurança e salvaguardarmos a nossa parte enquanto empresa”.

A ‘Faf Draiv’ também presta um serviço personalizado de aluguer de carros para casamentos, sendo que a decoração do veículo fica por conta da empresa’. “Este serviço é feito por um motorista da nossa parte e colocamos uma prenda surpresa para os noivos”, desvenda. No dia 27 de Outubro foi realizado o primeiro serviço para um matrimónio, num Mercedes Cabriolet e, para o ano, a empresa já tem quatro reservas para estes fins e uma para 2019.

Para conquistar ainda mais os clientes, Nuno Sousa teve a ideia de implementar os vouchers de oferta, que podem ser adquiridos na loja física e são válidos para o aluguer por hora ou por dia. “Os clientes podem comprar esse voucher e oferecer a um amigo ou familiar. Até mesmo para as empresas que costumam premiar os melhores funcionários, este é um bom exemplo de prémio”.

O espaço da loja é arrendado e foi alvo de obras de remodelação que duraram cerca de um mês. Quem por lá passa, repara que está sempre um carro de luxo à porta, literalmente, sendo que os restantes ficam numa garagem, que também é arrendada pela ‘Faf Draiv’.

Criar uma empresa e manter apenas as portas abertas não é suficiente, muito menos para um negócio que exige um contacto permanente com potencias clientes que são maioritariamente turistas. “Existe muito trabalho por detrás que tem de ser feito, desde redes sociais, publicidade. “Apostamos numa publicidade contínua, em que não gastamos muitas fortunas e que depois acaba por ser esquecida”.

A empresa prefere apostar numa publicidade que esteja sempre visível e esse tipo de aposta no mercado online é possível. “No mercado online, nas redes sociais, as publicidades não são esquecidas. Claro que fazemos publicidade em flyers e nas próprias viaturas, são coisas necessárias para promover os serviços que desenvolvemos”, acrescenta.

Chamar a atenção das pessoas que passam pela loja também faz parte da estratégia. Por exemplo, “se eu não tivesse esta loja com algo apelativo, como é o caso do carro que está aqui à porta, muita gente iria passar e nem sabia que estamos aqui. Só isto já é uma aposta em publicidade”, realça Nuno Sousa. A verdade “é que temos de nos afirmar no mercado. Primeiro, queremos dizer às pessoas que existimos e para isso são necessários gastos publicitários para a divulgação da nossa própria empresa”.

Até ao momento, já foram investidos, aproximadamente, 2.500 euros em publicidade, investimento esse que “é muito importante para esta fase inicial” da empresa.

A grande aposta, daqui para a frente, será manter o formato de diferenciação em relação às restantes ‘rent-a-car’ na Madeira. “Queremos ser diferentes nos carros e nos serviços que prestamos. Temos uma frota única na Madeira e no futuro pretendemos estabelecer o máximo de contratos com agências de turismo, isso é uma obrigação”, conclui.

Outras Notícias