ALBOA faz amanhã reunião na África do Sul

A Casa Social da Madeira em Pretória recebe primeira de duas reuniões, a 2.ª a 26

20 Jun 2017 / 02:00 H.

Os emigrantes madeirenses lesados pela resolução do Banif estão a ser convidados por correio electrónico e através do boca-a-boca, para participarem nas duas reuniões que a Associação de Lesados (ALBOA) vai promover, primeiro em Pretória, já amanhã, depois na Cidade do Cabo, na próxima segunda-feira.

Segundo nota de convite a que o DIÁRIO teve acesso, duas pessoas (no caso Jacinto Silva e Daniel Caires) da Associação de Lesados do Banif (ALBOA) vão para a África do Sul desde Portugal, para fornecer informações sobre como essas pessoas lesadas podem recuperar seu dinheiro”, informa. “Por favor, compartilhe com todas as pessoas que você conhece. A ALBOA é uma associação sem fins lucrativos que está lutando desde o início. Todos os associados são lesados do Banco Banif, não somos advogados. A ALBOA também pode se encontrar em privado, basta enviar-nos um e-mail para lesadosbanif@gmail.com”, convida num texto em formato bilingue (inglês e português).

A primeira de duas reuniões confirmadas, é já amanhã pelas 19 horas locais, na Casa Social da Madeira no endereço Plot 34 Boshkop road - Zwavelpoort. A segunda, a 26 de Junho, pelas 18 horas na Associação Portuguesa à Rua 10 Donegal - Rugby, na Cidade do Cabo.

União faz a força

Numa nota recente, a ALBOA lançou um formulário online a todos os escritórios de advogados que tenham clientes lesados do Banif, por forma a procurar uma forma de juntar forças na mesma batalha jurídica.

“Em nome da melhor defesa jurídica de todos os seus associados, [a ALBOA] pretende conhecer e reunir com os escritórios de advogados que representem o maior número de lesados possível”, indica. “Estes encontros a agendar brevemente são destinados exclusivamente a advogados. No entanto, é muito importante que nos indique qual o escritório que o representa, indicando-nos o respectivo contacto”, pedem, sejam estes de Portugal continental, das regiões autónomas dos Açores ou da Madeira, da África do Sul, da Venezuela ou de outras paragens.