Agente condecorado começa hoje a ser julgado

Polícia ‘recordista’ nas detenções está acusado de sequestro, tortura e agressão

08 Nov 2017 / 02:00 H.

Um agente da Polícia de Segurança Pública, louvado publicamente por ter efectuado 108 suspeitos de crime como furto, roubo ou tráfico de droga em apenas 19 meses, começa hoje a ser julgado, na instância de Santa Cruz da Comarca da Madeira por crimes de tortura, sequestro e ofensas à integridade física qualificada.

O queixoso é um homem que, na noite de 10 de Julho de 2016, se deslocou à esquadra de Santa Cruz com o intuito de ali apresentar queixa-crime contra terceiros, depois de se envolver numa confusão na rua, durante os festejos após o jogo de futebol entre Portugal e França, em que a selecção nacional venceu, sagrando-se campeã europeia.

O cidadão terá protestado com a demora no atendimento e tê-lo-á feito de forma insultuosa para a PSP, o que levou um agente a intervir no sentido de acalmá-lo e pedir serenidade. O queixoso alega que após uma troca de palavras mais azedas foi agredido pelo agente Tiago Cardoso, no interior da esquadra, vindo depois a acusar aquele elemento policial de três crimes: sequestro, tortura e ofensas à integridade física qualificada.

O Departamento de Investigação e Acção Penal entendeu haver motivos suficientes para levar o caso para julgamento. A primeira sessão está agendada para as 9 horas da manhã de hoje, na instância de Santa Cruz.

No banco dos réus estará um dos elementos policiais mais pro-activos do Comando Regional da PSP, com trabalho reconhecido sobretudo na área da investigação criminal onde passou boa parte dos 30 anos de experiência profissional que lhe valeram condecorações como três elogios e seis louvores públicos, um dos quais exaltando a atitude profissional e humana do agente, reconhecendo-lhe o mérito por ter efectuado, no período de 19 meses, 108 detenções por furto, roubo, tráfico e posse de droga, sequestro, falsificação de documentos, álcool, ofensas corporais e injúrias, recuperado material furtado diverso e apreendido dinheiro e 400 gramas das chamadas drogas duras.