Madeira exporta eucaliptos

só este ano serão exportadas 20 mil toneladas,que vão render milhares de euros

15 Set 2008 / 20:22 H.

A empresa 'RSP Madeira Lda', que trabalha no mercado de compra e venda de eucaliptos, já vendeu este ano à Portucel (líder no mercado português do negócio da pasta de papel), cerca de 20 mil toneladas de eucaliptos exportados da Madeira.
Apesar de não ter tradição na região, este é um mercado que revela potencial de crescimento por várias razões: Pelo grande número de eucaliptos que cá existem, pela qualidade do eucalipto, e pela oferta ao nível de acessos viários.
Com efeito, há vários anos que a empresa 'RSP Madeiras Lda', de Ponte de Lima, compra eucaliptos na região, para vender depois à Portucel, mas só agora é que o processo corre com maior eficácia.
Simões Pereira, encarregado pelos contactos, compra e envio destas árvores para o continente, explica a evolução gradual deste processo. 'Fomos entrando aos poucos no mercado. Actualmente trabalhamos com maior eficiência, porque já temos cá todo o equipamento necessário: máquinas, camiões e contentores, que antes não tínhamos'.
Mais de 15 mil toneladas


Questionado sobre as toneladas de eucaliptos que a empresa já cortou este ano na região, Simões Pereira avança um dado surpreendente. 'Só este ano já cortámos entre 15 a 20 mil toneladas de eucaliptos', um número em crescimento, mas ainda irrisório perante o volume de negócios totais da empresa, que todos os dias trabalha cerca de 6 mil toneladas.
O preço de compra dos eucaliptos depende essencialmente do tamanho, local e diâmetro de cada árvore, mas normalmente varia entre cinco a dez euros por tonelada - um eucalipto grande pode pesar duas toneladas.
Sobre a previsão da permanência na Madeira, a empresa afirma que está cá para durar. 'Enquanto houver eucaliptos andamos por cá. A Madeira tem muitos eucaliptos para cortar e este é o nosso sector de trabalho'. Esta actividade já está de tal modo implantada, que a empresa encontra-se a abater eucaliptos, ao mesmo tempo, em diversas zonas da região. 'Estamos nas Achadas da Cruz, no Campanário, em São Jorge e noutros locais. Toda a Madeira tem interesse para nós. Desde que haja quantidade suficiente que justifique a deslocação das máquinas, estamos lá'.
População agradece


O corte desta árvore é uma situação que agrada a todos os envolvidos: os proprietários dos terrenos ganham dinheiro inesperado, a Direcção Regional de Florestas vê uma das principais pragas florestais da região ser debelada aos poucos e a Associação Ambiental Quercus concorda com o abate.
No entanto, quem mais tem lucrado com este negócio são os proprietários dos terrenos onde os cortes têm sido feitos.
Morador na pequena freguesia das Achadas da Cruz, Moisés Açafrão é uma das pessoas que tem lucrado com este negócio. 'Quando me disseram que me pagavam para cortar os eucaliptos que estão nos meus terrenos disse logo que sim. Tinha alguns terrenos cheios de eucaliptos e não conseguia fazer nada com aquilo. Nem para cultivar, nem para outra coisa. Assim, ao menos fiquei com os terrenos limpos outra vez'.
Moisés Açafrão é um entre muitos moradores das Achadas da Cruz que estão deliciados com estes cortes. 'O eucalipto é uma praga, ninguém consegue dar cabo dele. Ao menos assim, esta empresa sempre nos ajuda'.
Quercus esclarece agricultores


Também Idalina Perestrelo, do Núcleo Regional da Quercus na Madeira apoia estes abates. Apesar desta ser uma actividade rentável para os proprietários dos terrenos onde os cortes se têm realizado, a ambientalista ressalva que 'de modo algum se aconselha a plantação de eucaliptos'. Isto por duas razões: 'O eucaliptal existente na região já é significativo e as pessoas têm de perceber que esta árvore é uma praga'.
Idalina Perestrelo também aconselha os proprietários a reconverter o espaço desbastado por outro tipo de floresta, 'uma vez que o eucalipto ocupou muitas áreas que eram utilizadas para a agricultura'.
O abate desta árvore por si só não é suficiente para impedir os eucaliptos de voltarem a expandir-se. É necessário intervir de forma a limitar esse crescimento. A ambientalista deixa ainda dois truques que visam a secagem da árvore: 'Um método é fazer humidade e sombra no tronco do eucalipto, colocando folhas de árvore ou plásticos a tapá-lo; o outro método é realizar furos ao longo do tronco' explicou.Marco Freitas

Outras Notícias