85% de ocupação hoteleira nas 4 semanas da festa

Celebração da flor decorre desde 19 de Abril e prolonga-se até 13 de Maio

22 Abr 2018 / 02:00 H.

A Festa da Flor celebra-se, este ano e pela primeira vez, ao longo de quatro semanas. Tradicionalmente procurada por milhares de turistas, o evento consegue atingir uma taxa média global de ocupação na hotelaria de 87%, nas primeiras duas semanas, que chega aos 90% precisamente neste fim-de-semana.

De assinalar é que, conforme avançado ao DIÁRIO pelo Gabinete da secretária regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, a previsão elaborada para todo o período do evento (a decorrer, desde o passado dia 19 de Abril e até ao próximo dia 13 de Maio) aponta para uma ocupação média global a rondar os 86% (85,6%).

Segundo os dados recolhidos pela Direcção Regional do Turismo, e comparativamente ao mês de Maio de 2017 – mês em que se realizou a Festa da Flor – há mais turistas na Madeira, por esta altura.

Conclusão que resulta dos dados da Direcção Regional de Estatística da Madeira, os quais apontam para que esta taxa se tenha fixado, no ano passado e neste mês, nos 80,2%.

Ocupação que a secretária regional do Turismo e Cultura, através do seu Gabinete, “valoriza, precisamente porque reflecte uma procura que se prolonga ao longo de quatro semanas, dando-nos a oportunidade de afirmar aquele que é um dos principais cartazes do destino no seu novo figurino, mais longo e integrador de novas acções e atracções turísticas”.

E mais, “o facto de termos esta ocupação média global, ao longo deste período, permite-nos, precisamente, reforçar a divulgação e promoção da Festa da Flor, nas suas várias, diferentes e novas potencialidades, junto daqueles que aqui se encontram e é também por essa via que começamos a preparar, desde já, a comunicação para o próximo ano”, conclui.

Desfile mantém-se para as 16 horas

Mantém-se toda a programação para hoje da Festa da Flor, incluindo o cortejo alegórico marcado para as 16 horas, com partida da Rotunda da Autonomia, junto à Empresa de Electricidade da Madeira em direcção à Rotunda Harry Foster, na entrada do Porto do Funchal, informou ontem a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, que no entanto ia acompanhar a evolução do estado do tempo ao final do dia de ontem e esta manhã, no sentido de ver se seria necessária alguma alteração, nomeadamente o adiamento do desfile. Não deverá ser, uma vez que as perspectivas para esta tarde eram de melhoria, pelo menos a meio da tarde de ontem, quando Vítor Prior, director do Observatório Meteorológico do Funchal actualizou a informação e deu conta das previsões do tempo para esta tarde no Funchal.

Apesar de na altura a situação estar bastante instável, com períodos de chuva ou aguaceiros, como aconteceu também durante a manhã, as previsões para hoje depois do almoço eram animadoras. Durante a manhã de ontem foi registado no Funchal 3 ou 4 milímetros de chuva por metro quadrado. A previsão dada já depois de 16 horas apontava para que hoje durante a tarde fosse ainda melhor do que isto. “Mas é preciso ter em conta que a situação, em termos de previsão, não é mais linear, pode ocorrer algum aguaceiro, mas neste momento tudo indica que será pacífico”, alertou o especialista. O único problema é que pode ocorrer algum aguaceiro, a previsão às vezes não apanha essas coisas, disse Vítor Prior.

Nas regiões montanhosas ontem choveu abundantemente, com valores dentro dos 50, 60 e 70 mm. A previsão de chuva mantém-se para hoje nessas zonas, um cenário completamente diferente do esperado no Funchal, onde as flores são protagonistas da festa.

Onze grupos vão desfilar, cerca de 1.500 participantes, divididos pelos projectos de João Egídio e as suas ‘Seiscentas Primaveras’; pela Turma do Funil nos seus ‘30 Anos em Harmonia com as Flores’; pela Associação de Animação Geringonça e as suas ‘Flores com História’; pela Fura Samba ao sabor de ‘Madeira o Despertar da Natureza’; e pela Associação Cultural Império da Ilha com ‘Um Oceano de Flores’. ‘Richelieu’ é o tema do colectivo Sorrisos de Fantasia; ‘Clássica’, o tema da Associação Animad; e ‘Floresta Encantada’ o da Escola de Samba Caneca Furada. A Associação Tramas e Enredos desfila ‘Pelos Olhos de Zarco’; Francis Cardoso e a Dance Flavourz, ‘600 Anos em Flor e Suas Princesas’; e a fechar Isabel Borges com ‘Love me do’.

Depois do desfile, pelas 19 horas, inaugura a Exposição de Carros Alegóricos no estacionamento da Frente Mar, nas imediações da Praça do Povo. Os vários carros dos grupos ficarão patentes ao público até às 18 horas de segunda-feira, dando assim oportunidade para ver de perto o trabalho floral.

Paralelamente, até ao final do dia de hoje pode ainda participar no Festival de Rum da Madeira, promovido pelo Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira no Largo da Restauração.

Paralelamente, até ao dia 13 de Maio, poderá ver nas placas centrais da Avenida Arriaga os tapetes e decorações florais, visitar o Mercado das Flores e dos Sabores Regionais, ver as ‘Valsas de Cores’, figuração de jovens vestidas de flor, assistir a actuações de grupos folclóricos, redescobrir o Bordado Madeira e o artesanato Regional que também estão em exposição, assim como desfrutar de animação diversa. Na Praça do Povo encontra a habitual Exposição da Flor, vai na 63.ª edição. Estão previstos workshops e palestras.