Artistas querem saber onde pára dinheiro que deram à Criamar

DIrecção da Cultura não tem ainda projecto para o espaço das Artes

24 Nov 2015 / 03:00 H.

    Emanuel Aguiar, um dos artistas que ainda ocupam o Espaço das Artes na Rua de Santa Maria, reagiu ontem à notícia do DIÁRIO do despejo que serão alvo, amanhã, na sequência da decisão judicial no caso que os opunha à CRIAMAR - Associação de Solidariedade Social para o Desenvolvimento e Apoio a Crianças e Jovens e a João Carlos Abreu, o ex-secretário regional de Turismo e Cultura.


    O artista veio ao DIÁRIO dizer que, durante pouco mais de dois anos, cada artista pagou à Criamar 80 euros por mês, mais 10% de cada quadro. E diz: “Os artistas querem saber apenas onde está o dinheiro que pagaram à Criamar e qual a instituição que lucrou com este dinheiro”.


    Adianta que, amanha, dia do anunciado despejo, vão colocar os quadros na rua para quem os quiser levar gratuitamente. Se não houver interessados, vão pedir à Câmara Municipal do Funchal que faça a recolha e dê o uso que entender.


    DRC não tem ainda projecto para o espaço

    Uma vez concretizado o despejo dos artistas do Espaço das Artes, na Rua de Santa Maria, o local ficará vazio e sem utilização, pelo menos para já.


    Ontem, a directora regional da Cultura, Carina Bento, disse que a Direcção Regional da Cultura não tem qualquer projecto previsto para o espaço. E nada mais adiantou sobre o contencioso entre artistas e a Criamar, já que deriva de uma decisão do poder judicial. j

    Outras Notícias