Canha no parlamento como independente

Dionísio Andrade deixa cargo de deputado do PND, que será ocupado por Gil Canha

24 Set 2015 / 02:00 H.

O activista político/ambiental e empresário Gil Canha vai substituir Dionísio Andrade como deputado na Assembleia Legislativa da Madeira. No entanto, assume o cargo na qualidade de independente e não em representação do PND, uma forma de tornear uma possível perda do mandato parlamentar em consequência do processo de extinção do partido desencadeado pelo Tribunal Constitucional.


Gil Canha foi o cabeça-de-lista do PND às eleições regionais de Março passado, em que esta força política elegeu um deputado. Embora ocupasse sempre lugares cimeiros das listas em anteriores eleições, nunca quis assumir funções parlamentares. Avança agora, segundo apurámos, porque este grupo político quer apostar num ‘peso pesado’ para o ‘combate’ que se avizinha. O partido já tinha assumido que o mandato seria assumido em rotatividade por várias pessoas da lista e nos primeiros meses da legislatura coube a Dionísio Andrade fazê-lo. Ontem, contudo, o jornalista (com carteira profissional suspensa) enviou aos serviços da Assembleia uma informação a pedir a sua substituição, invocando razões pessoais.


Ao que o DIÁRIO apurou, a decisão de Dionísio Andrade não resulta de divergências internas mas sim porque se sente melindrado com toda a situação em que o partido se viu envolvido. O assunto foi abordado numa reunião realizada ontem de manhã, onde foi decidido que Gil Canha assumiria o mandato de deputado mas como independente, já desvinculado do PND.


Apesar desta alteração ter efeitos imediatos e de Gil Canha ser deputado em funções desde ontem, só deverá sentar-se na Assembleia após as eleições nacionais de 4 de Outubro, visto que os trabalhos parlamentares estão suspensos por força da lei.


Gil Canha tem 54 anos, é licenciado em História e Ciências Sociais. Ex-oficial do exército e actualmente empresário, esteve durante vários anos ligado à organização ambientalista Cosmos, ao surf e a clubes de desportos radicais. Foi fundador do jornal satírico  ‘Garajau’ e esteve na génese do grupo que integrou o PND na Madeira, embora só se tenha filiado no início deste ano. Foi eleito vereador na Câmara do Funchal no mandato 2009-2013. Em Setembro de 2013 integrou a coligação Mudança, que ganhou a Câmara do Funchal. Viria a demitir-se do cargo de vereador em Maio de 2014 depois do presidente Paulo Cafôfo lhe ter retirado todos os pelouros e de outros dois vereadores terem apresentado a demissão em solidariedade com Gil Canha.