‘Broken Dreams’ revela A Passage to The Stars

projecto de Ricardo T. Alves foi criado no computador e lançado no iTunes

14 Ago 2014 / 02:00 H.

Chama-se ‘Broken Dreams’ o primeiro disco do projecto ‘A Passage to the Stars’, de Ricardo Teixeira Alves. O músico de 34 anos, autodidacta, usou o seu computador para criar um álbum duplo, recorrendo ao seu Mac, ao Logic Pro X e a samples. O resultados são dois CD profundos, que brevemente vai apresentar ao público.
Apesar de esta ser uma criação bastante individual, na medida em que é só o autor e a máquina, Ricardo Teixeira Alves tem um percurso passado em bandas. Tocou na Fairplay e na Wells. Passou também pela tuna Estudantina Académica da Madeira. Um percurso que foi decisivo para conseguir agora produzir o disco de estreia, revela.
O produtor tocava baixo nas bandas, guitarra na tuna, guitarra clássica em casa. Começou aos 15 anos, aprendendo só, experimentando, ouvindo amigos, consultando a Internet. Esses conhecimentos permitiram-lhe criar o trabalho de estreia, disponível já no iTunes em formato digital. O disco em suporte físico será apresentado em Setembro na Casa da Cultura de Santa Cruz.
‘Broken Dreams’ é um álbum instrumental que o próprio assume como triste. Foi composto em software de produção. A criação através do computador já vem de antes, um gosto alimentado na sequência do seu gosto pela Apple. Em 2005 concorreu ao Antena 3 Dance. Foi finalista do concurso e a partir daí continuou a investir nesta área. “Se calhar é mais fácil, até porque somos só um. Se for numa banda temos de respeitar os gostos de todos os membros. Aqui eu faço tudo”.
O produtor não recorre a loops, explicou. Usa samples. No fundo a máquina oferece-lhe os sons dos vários instrumentos que combina em composições. É como ter uma orquestra disponível para tocar as notas que escolhe. ‘As notas tenho de fazê-las, claro!”.
“A sonoridade no seu todo é um bocado triste”, assume, acrescentando que “foi o que saiu naturalmente”. Preferiu também não dar voz ao trabalho. Cantar não é o seu forte.
O disco é resultado de mais de um ano de trabalho. A edição é de autor, podendo as pessoas comprar o disco em formato físico através do site apassagetothestars.com, ou em digital através do iTunes.
A adesão tem sido boa. “Tenho conseguido divulgá-lo bastante e vendê-lo”. Neste momento em conversações com a Fnac para ver se consegue colocar à venda na loja do Madeirashopping.

Outras Notícias