Império da Ilha descobre Ouro Branco

Açúcar serve de inspiração ao Império da Ilha, que promete muita animação

04 Fev 2018 / 02:00 H.

Era um dos principais produtos exportados pela Região no passado, tendo ficado conhecido como o ‘Ouro Branco’. Esse é o tema escolhido pela Associação Cultural Império da Ilha para dar vida ao desfile de Carnaval deste ano.

Élvio Sousa e Mary Sousa, irmãos, são os mentores do projecto que, apesar de falar no branco, tem muito mais para mostrar e muita cor para pintar a Avenida do Mar.

Chegar à ‘sede’ da associação, no Mercado Municipal de Câmara de Lobos, é entrar num mundo repleto de plumas, pedras e muita cor. Só numa das primeiras encomendas, chegaram 18 quilos de pedraria para enfeitar os tecidos. Para quem diariamente, ao longo dos últimos anos, tem lidado de perto com os projectos desta associação, considera que esta é uma família. Aliás, é mesmo esse o sentimento partilhado na sede.

Aqui todos ajudam a fazer alguma coisa, seja na costura ou na concretização dos chapéus e outros acessórios. As salas são muitas e estão repletas de plumas e pedras que vão compor a Avenida do Mar e não só. É aos poucos que vamos descobrindo cada uma das alas e a sua história.

Tal como explicou Mary Sousa ao DIÁRIO, o açúcar e a sua riqueza enquanto ‘ouro branco’ veio inspirar todo o enredo. Desde logo, os países para onde era exportado este produto, mas também os escravos que trabalhavam nesta lavoura fazem parte dos figurinos destes foliões.

“O casal da abertura, dois bailarinos, vão representar a arte sacra, a riqueza da Madeira que foi comprada com o dinheiro do açúcar”, explica. Segue-se a comissão da frente, que vai representar África e os seus escravos.

Continuando na senda deste Ouro Branco, o primeiro mestre-sala e porta-bandeira vão ser a representação do açúcar mascavado, o primeiro que se retirava da cana-de-açúcar. Neste caso, os tons dourados e castanhos serão a base.

Quanto à rainha da bateria, figura elementar no Carnaval, vai representar o fogo, pois vem acompanhada da bateria, que personifica os pasteleiros, uma das profissões que trabalha mais de perto com o açúcar. O carro alegórico terá bolos, caramelos, rebuçados e toda uma panóplia de comida em que este ouro branco é inspiração. Nesse mesmo carro, as figurantes serão um ‘Doce Carnaval’.

Voltando ‘à terra’, eis que os fatos da primeira ala vão representar a cana-de-açúcar e o grupo seguinte o açúcar.

Seguem-se três raparigas, à frente do segundo mestre-sala e porta-bandeira. Esses três elementos foram buscar inspiração à revolta das águas, fonte de abastecimento para que fosse necessário o cultivo da cana-de-açúcar e seus derivados.

Deixando agora a inspiração dos produtos, eis que surgem os países que estiveram ligados ao comércio. No caso, uma ala, em tons de verde e amarelo, representa o Brasil e uma outra os países da Flandres.

Posto isto, surgem as formigas, com plumas e tecidos pretos, mas que se transformam numa ala cheia de alegria e sem coreografia. Por fim, a última ala é representativa do Vinho Madeira, uma vez que este depende do açúcar para poder fermentar.

Em suma, são 150 elementos que vão desfilar na Avenida do Mar representando o projecto de Mary e Élvio Sousa, irmãos que se encontram ‘à frente’ desta associação. Neste que é já o seu terceiro Carnaval como Império da Ilha, a fasquia está a ser cada vez mais elevada e o trabalho tem sido feito todos os dias, com várias pessoas a trabalharem até de madrugada.

O projecto foi pensado em Agosto e, tal como pedido pela secretaria do Turismo, apresentado em Setembro. No entanto, já em Novembro, ainda antes da resposta do Governo Regional, já se começaram a preparar as armações para os chapéus e a iniciar os primeiros elementos, dada a proximidade do Carnaval.

Já durante o mês de Dezembro começaram a ser feitas as encomendas de tecidos e pedraria, mas também de plumas, que chegam directamente da África do Sul.

Aliás, é bem visível a quantidade de materiais que são necessários para concluir o projecto. Na sede da associação Império da Ilha, no Mercado Municipal de Câmara de Lobos, são aos milhares as plumas e as pedras para dar brilho aos fatos. O dourado, branco, preto, roxo, amarelo, vermelho, azul, verde e laranja fazem parte das cores escolhidas.

Quanto às inscrições para mais um Carnaval, é relativamente fácil ocupar os lugares vagos. A prioridade vai para aqueles que já participaram noutros anos, mas há sempre vagas para novos membros.

Assim, tudo começa a estar pronto para mais um desfile na Avenida do Mar, no próximo dia 10 de Fevereiro, desta feita ao som de dois samba-enredo do Grémio Recreativo Escola de Samba Académicos do Salgueiro: ‘A divina Comédia do Carnaval’ (2017) e ‘Do Fundo do Quintal Sabores e Saberes na Sapucaí’ (2015).

Fica no ar a promessa de muita alegria para quem participa, mas também para quem vai assistir ao grande cortejo alegórico da noite do próximo sábado.

‘Ouro Branco’ vai dar a conhecer o açúcar nas suas diversas valências, os países que trabalharam com esta riqueza e as profissões que lhe são afectas

elementos vão desfilar

na Avenida do Mar

representando

o Império da Ilha

música

‘A divina comédia do Carnaval’ (samba enredo Salgueiro 2017) e ‘ Do Fundo do Quintal, Sabores e Saberes na Sapucaí’ (samba enredo Salgueiro 2015)

Outras Notícias