25 ANOS DE PRAZER

A família Alves de Sousa está a festejar os 25 anos da sua marca mais emblemática,

17 Set 2017 / 02:00 H.

DESDE meados do século XIX que a família Alves de Sousa se começou a dedicar à produção de vinhos generosos para abastecer algumas das principais casas exportadoras. Com o tempo, mais precisamente 150 anos depois da primeira geração, Domingos Alves de Sousa e o seu filho (e enólogo) Tiago Alves de Sousa, começam a produzir o seu próprio Vinho do Porto. Entretanto, no final dos anos 80 do século passado, Domingos Alves de Sousa (4ª geração da família), desperta também para os vinhos de mesa do Douro, até então esquecidos na região, tornando-se num dos pioneiros da nova geração de produtores surgidos nos princípios dos anos 90.

Chegou agora a altura de festejar os 25 anos da sua marca mais emblemática, o Quinta da Gaivosa Tinto, vinho que é o porta-estandarte da família e que sai da propriedade com o mesmo nome desde 1992, data da primeira colheita. Com um total de seis quintas e 135 ha de vinha, a Quinta da Gaivosa é, no entanto, a mais especial, apresentando um terroir singular com características muito próprias (microclima, enorme rudeza dos solos de xisto e encostas agrestes, onde as vinhas se situam entre os 350 metros e os 500 de altitude). Em linha recta, a Quinta da Gaivosa está a apenas 70 quilómetros do Atlântico, mas a enorme serra do Marão faz uma barreira natural, que nos dá um Douro mais ameno.

Para comemorar os 25 anos desde o primeiro lançamento, embarcámos numa viagem pelo tempo com uma prova especial do Quinta da Gaivosa Tinto, onde chegaram até ao nosso palato as colheitas de 1992, 1994, 1995, 1997, 1999, 2000, 2003, 2005, 2008, 2011 e 2013. Enfim, um conjunto de grandes vinhos que fizeram e fazem a história desta casa do Douro.

Na memória, ficaram-nos as colheitas de 1994 e 1995, qualquer delas espectacular e a vincar bem o lema da Quinta da Gaivosa: frescura, harmonia, elegância. Se as conseguirem encontrar em qualquer garrafeira, comprem-nas e deliciem-se.

Os tintos da Quinta da Gaivosa são produzidos apenas em anos de qualidade excepcional e são elaborados com base em 20 castas autóctones do Douro, provenientes de vinhas velhas com mais de 80 anos e onde se encontram, por exemplo, a Touriga Nacional, a Touriga Franca e o Tinto Cão. A vinificação com desengace total, passa por 10 dias de fermentação a 20-22ºC, 7 dias de maceração e estagia 15 meses em barricas novas e de 2º ano de carvalho francês.

O vinho que vem agora para o mercado é o Quinta da Gaivosa Tinto 2013, que evidencia aromas a frutos do bosque, folha de eucalipto e pinheiro (as árvores que ladeia a vinha). Tem grande estrutura e complexidade e promete muitos anos (25) pela frente. À parte da prova vertical dos tintos, tivemos também a ocasião de degustar o Branco da Gaivosa 2016, um vinho produzido com Malvasia Fina, Gouveio e Arinto e que se mostrou com aroma elegante com notas de baunilha, frutas de caroço brancas e notas florais. É também um grande vinho e pode evoluir em garrafa até 7 anos.

Esta foi uma jornada que ficará para sempre na memória a evocar um grande produtor do Douro e vinhos de extrema qualidade. A não perder!

Outras Notícias