24 milhões para retomar obra e concluí-la até 2019

Obra da Via Expresso entre a Raposeira e a Ponta do Pargo vai ser reiniciada

19 Out 2017 / 02:00 H.

A Via Expresso entre a Raposeira e a Ponta do Pargo vai ser retomada dentro de pouco tempo e é para ser inaugurada até final de 2019, previsivelmente antes das eleições Regionais. Dito por outras palavras, a empreitada que não estava nos planos de Miguel Albuquerque antes de proceder à remodelação governamental passa a ser uma obra prioritária e vai custar cerca de 24 milhões para concluir os trabalhos que foram travados pelo Plano de Assistência Financeiro à Região.

O DIÁRIO sabe que o presidente do Governo esteve ontem na freguesia do extremo Oeste da ilha, juntamente com Amílcar Gonçalves, secretário regional do Equipamento e Infra-estruturas indigitado, acompanhado ainda pelo presidente da Câmara Municipal da Calheta, e terá ficado definido que os trabalhos serão reiniciados assim que estejam despachados alguns assuntos pendentes burocráticos, nomeadamente parcelas de terra que faltam expropriar, avançou fonte conhecedora do processo.

Curioso é o facto desta reviravolta acontecer poucos dias depois de Sérgio Marques, secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, com a tutela das Obras Públicas (actualmente demissionário), ter vindo a apresentar como justificação a falta de liquidez do Executivo para dar por concluído os viadutos que ligam os túneis. O governante apontou que seria uma empreitada para ser concluída a médio ou longo prazo, mas nunca nesta fase.

Protestos e derrota eleitoral

Coincidências ou não, a verdade é que desde que a obra foi interrompida as Juntas de Freguesia da Ponta do Pargo e da Fajã de Ovelha deixaram de pertencer à maioria do PSD-M. Os social-democratas nunca mais ganharam as eleições para estes órgãos autárquicos e não foram por falta de alertas que isso poderia vir acontecer. O desagrado da população era evidente e as ameaças dos eleitores também, as últimas das quais foram concretizadas no último eleitoral de 1 de Outubro com novas vitórias eleitorais para os centristas populares, mesmo com mudanças de candidatos por parte dos social-democratas.

Pagamento faseado

Uma das fórmulas encontradas para pagar a obra, e que está sendo estudada, conforme nos foi avançado, é liquidar a empreitada em vários exercícios económicos, isto é não será de uma só vez porque o governo não tem recursos para o fazer, sê-lo-á em diversos Orçamentos da Região, e com apoios comunitários.

Metade concretizado

Esta empreitada faz a ligação rodoviária entre a localidade da Raposeira do Serrado e a Ponta do Pargo. Com uma extensão total de 5.719 metros, o traçado contempla a execução de 6 pontes, 5 rotundas e 4 túneis.

A primeira fase englobou a escavação, o revestimento provisório e definitivo dos túneis, bem como os trabalhos de terraplenagem das rotundas sendo também executadas três passagens hidráulicas. Estas passagens têm extensão de 86 (Lombo), 119 (Mestre) e 552 metros (Faias), com as secções máximas de 2x2, 2,5x2,5 e 4x4 metros, respectivamente.

O traçado apresenta nos túneis um perfil transversal com duas faixas de circulação com uma largura total de sete metros e ainda dois passeios com um metro cada.

Os túneis têm respectivamente as extensões de 135, 1.218, 427 e 409 com uma galeria de emergência do túnel com 332 metros.