Instituto 'M-ITI' elogiado

Projecto Carnegie Mellon na Região tem mais de 100 alunos de 20 nacionalidades

24 Out 2010 / 02:00 H.

Na quarta reunião do Comité Externo de Avaliação do Programa Carnegie Mellon (CMU) - Portugal que teve lugar entre os passados dias 14 e 16 de Outubro, não foram poupados elogios ao trabalho que tem sido desenvolvido na Região no âmbito do projecto, nomeadamente a criação do 'M-ITI', instituto  de Tecnologias Interactivas criado pela Universidade da Madeira, Tecnopólo e a CMU.

O documento que saiu da reunião refere o instituto como "um importante desenvolvimento com potenciais benefícios consideráveis".

Nuno Nunes, presidente da direcção do 'M-ITI' e um dos directores científicos do programa CMU Portugal, disse ao DIÁRIO ter ficado muito satisfeito com a avaliação feita pelo comité  e ressalvou que o sucesso do projecto depende mais da capacidade da equipa que foi criada e da motivação de todas as pessoas envolvidas".

Actualmente, o instituto conta com  19 professores de 14 nacionalidades diferentes,  e mais de uma centena de alunos de mestrado e doutoramento  num total de 20 nacionalidades.  "O trabalho que foi elogiado foi o trabalho destas pessoas, professores, alunos, investigadores e staff", esclarece Nuno Nunes.

"A nível pessoal naturalmente que me satisfaz estar a contribuir para este projecto e em particular para criar na Madeira um verdadeiro centro de excelência numas das áreas mais competitivas e importantes das tecnologias de informação e comunicação. Os resultados e o contributo em termos económicos e sociais ainda vai demorar a ser visível mas estou certo que dentro de alguns anos o impacto será considerável em particular porque falamos num investimento relativamente pequeno para os resultados que têm sido apresentados".

Além do programa de mestrado em Tecnologias do Entretenimento, inovador em Portugal, e cuja primeira edição arrancou em Setembro último na Madeira, o presidente da direcção 'M-ITI' diz que continua a ser consolidado o mestrado em Interacção Homem-Computador. Além disso, acrescenta, actualmente o instituto detém "uma carteira significativa de projectos de I&D num valor total acima dos 4 milhões de euros, na sua totalidade financiados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e por empresas."

Mas o futuro está já a ser preparado e com ele está a ser programada uma especialidade relacionada com a Engenharia Civil em sistemas avançados de infra-estruturas.

"Em termos de projectos de investigação estamos a trabalhar com a Novabase e o consórcio Mobi.E no projecto de mobilidade eléctrica que é uma importante aposta em Portugal com a criação de uma rede de distribuição e carregamento de carros eléctricos", adianta Nuno Nunes.

Além de projectos em curso na área do 'software', o responsável diz ainda que, na vertente de colaboração com a sociedade, está a ser preparada uma proposta para "utilizar redes sociais e sensores para ajudar na gestão e recuperação de catástrofes como as que aconteceram recentemente".

E basta teorizar sobre os projectos. Nestes últimos tempos e para desenvolver todos os projectos referidos, já foram criados mais de 20 postos de trabalho altamente qualificados. "São pessoas muito talentosas que estão a fazer os seus doutoramentos em áreas de ponta e com um substancial envolvimento de empresas. Estou certo que no futuro teremos mais empresas associadas ao M-ITI e ao Madeira Tecnopólo permitindo que exista massa crítica na Madeira", diz ainda Nuno Nunes.

Programas de mestrado continuam até 2014

Sobre as recentes notícias que davam conta da possibilidade do programa CMU Portugal não ter condições para continuar, Nuno Nunes explica que, na Madeira, o programa é financiado numa componente importante pelo Governo Regional e esse financiamento já estava garantido para além do final de 2011 que era o limite para a parceria a nível nacional".

O responsável refere ainda que   está garantida a continuidade dos programas de mestrado em Interacção Homem-Computador e em Tecnologias do Entretenimento para os próximos 3 anos lectivos (até 2014).

Nuno Nunes acrescenta que os programas continuam normalmente a recrutar alunos e que o prazo para candidaturas para a edição de 2011/12 é até ao final deste ano.

Outras Notícias