200 polícias em protesto

Delegação da ASPP-Madeira esteve presente na acção que decorreu

Lisboa /
22 Abr 2017 / 02:00 H.

Cerca de duas centenas de polícias estiveram presentes na tarde de quinta-feira num “desfile de protesto”, em Lisboa, que serviu para entregar ao primeiro-ministro um documento reivindicativo com os principais problemas do sector. Uma acção organizada pela Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) que teve a participação de representantes da delegação regional, nomeadamente o coordenador Adelino Camacho e o dirigente Jorge Silva.

Antes do desfile de protesto, que se realizou entre o Jardim de Santos e a residência do primeiro-ministro, os delegados e dirigentes daquela associação participaram numa assembleia-geral onde foi aprovado o referido documento reivindicativo.

Segundo o presidente da ASPP/PSP, Paulo Rodrigues, entre as principais reivindicações está a conclusão dos concursos de promoção de polícias, abertos em 2016 para todas as categorias, a publicação das listas de antiguidades e dos 800 profissionais que reúnem os requisitos para a pré-aposentação.

O dirigente acrescentou que os polícias exigem também o cumprimento na totalidade do estatuto profissional da PSP, como a “rápida homologação das avaliações de 2016”, uma vez que o aumento dos dias de férias só se pode concretizar através desta via.

A ASP/PSP exige que o Governo resolva estas situações até o próximo mês de Junho; se tal não acontecer, Paulo Rodrigues admite que serão desencadeadas várias acções de luta, que poderá, inclusivamente, passar por uma grande manifestação de polícias.

Na lista de reivindicações estão ainda questões operacionais, nomeadamente a falta de equipamentos, de viaturas e ainda de condições nas instalações policiais, que a ASPP/PSP quer ver solucionadas durante o ano de 2017.

Ministra afirma que o estatuto está a ser cumprido

Entretanto, a ministra da Administração Interna disse na quinta-feira que o estatuto profissional da PSP está a ser cumprido, estando a ser concluídos os concursos abertos em 2016 para todas as categorias de polícias.

“O estatuto está a ser cumprido, o que está em causa são processos concursais que estão neste momento em curso e em fase de serem ultimados”, afirmou Constança Urbano de Sousa.

Na quarta-feira, o Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP realizou uma vigília em frente à direcção nacional da polícia, em Lisboa, para chamar a atenção para a falta de meios e envelhecimento do efectivo.

A ministra da Administração Interna afirmou também que os concursos para a promoção dos polícias foram autorizados, mas “é preciso cumprir todos os parâmetros da lei”.

Sobre os veículos da Polícia de Segurança Pública, a ministra admitiu que “a frota automóvel das forças de segurança está envelhecida”.

Nesse sentido, adiantou que, no âmbito da lei de programação dos equipamentos e infra-estruturas das forças e serviços de segurança”, existe “uma verba bastante avultada para realizar aquisições de veículos”, o que vai permitir “tentar resolver o nível de operacionalidade da frota automóvel”. *com LuSA