Fátima assinala Bodas
de Prata

O Convento do Beato, em Lisboa, recebe hoje o desfile da madeirense mais conhecida

Lisboa /
04 Nov 2017 / 02:00 H.

Fátima Lopes sempre foi uma pessoa de fortes convicções e de ideias fixas, com um gosto muito particular. Tanto que em criança nem sempre vestia a roupa que a mãe escolhia, porque achava que faltava qualquer coisa.

Isto de andar vestida igual às outras era coisa que nem lhe passava pela cabeça. E criatividade nunca faltou, com os primeiros ‘croquis’ a nascerem na adolescência com a ajuda da Revista Burca.

Longe de imaginar uma vida de sonho na área da moda, Fátima nunca escondeu que ambicionava mais do que a Madeira oferecia. Queria arriscar, atravessar a linha do horizonte e dar asas à imaginação. Queria liberdade e um palco que oferecesse visibilidade.

Em 1989 Lisboa acolheu uma miúda que chegava da Madeira com muitos sonhos na bagagem, numa altura em que o país não tinha tradição nem cultura de moda.

Começou por gerir uma loja multimarcas (Versus) e três anos depois aventurou-se com uma colecção, no Convento do Beato, em Lisboa, num desfile que arrasou as mentes mais conservadoras. Começava assim uma carreira que levaria o nome da Madeira e de Portugal além-fronteiras.

Ao longo destes 25 anos, Fátima criou uma marca com o seu nome, abriu uma agência de modelos nacional (Face Models) e foi pioneira em diversos projectos. Desenha roupas, sapatos, jóias, acessórios e artigos para o lar e conseguiu fazer da cidade de Paris a sua montra para o Mundo, onde ‘desfila’ junto dos grandes da Moda Mundial.

Para assinalar as bodas de prata de uma carreira que já faz parte da história da moda portuguesa, a criadora volta hoje às origens, com um desfile no Convento do Beato, o sítio onde tudo começou.

A colecção de Verão ‘Birds’ volta assim à passerelle, num espectáculo onde a criadora pretende mostrar que o sonho de menina, em querer marcar a diferença, vai continuar.