“É um navio com as condições verdadeiramente necessárias”

Opinião de Lopes da Fonseca, líder regional do CDS-PP

17 Mai 2018 / 11:24 H.

O CDS-PP também está satisfeito com a escolha do navio que assegurará o retomar da ligação marítima entre a Madeira e o Continente. Lopes da Fonseca está confiante que os madeirenses vão aderir a esta alternativa de transporte, embuídos pela tradição secular de navegar por via marítima.

“O CDS sempre teve, ao longo deste processo, a preocupação que o navio que viesse tinha de ser um navio com condições para que, madeirenses e porto-santenses, pudessem viajar com conforto e no menor tempo possível. Como o navio que inicialmente se perfilava era um navio muito mais lento, sem as condições necessárias, por isso, a confirmar-se a notícia vinda no DIÁRIO de Notícias, regozijamo-nos pelo facto de vir o navio que toda a gente elogiou quando foi a última operação feita na Região. É um navio que tem todas as condições mínimas necessárias de conforto e até em termos de velocidade, porque vai demorar menos de 24 horas”, destacou.

“Outra nuance que a confirmar-se também é positivo, é a ligação a Canárias. Só é pena que esta ligação só seja assegurada por apenas três meses, quando inicialmente, tinha sido compromisso do PSD, seria ao longo do ano. Não sendo possível, fazendo apenas a ligação durante os três meses do Verão, depois os madeirenses e porto-santenses tirarão ilações desta situação”, apontou.

As características do navio fretado é o aspecto que mais satisfaz Lopes da Fonseca, líder regional do CDS-PP.

“É um navio com as condições verdadeiramente necessárias, tanto de conforto, como de velocidade, e também de carga, porque este navio pode transportar carga, as trelas e os tractores ou só as trelas sem tractores, o que significa que, à priori, será o navio que precisamos para a linha entre a Madeira e o Continente”.

Razões para acreditar que haja “boa adesão, até porque os preços são convidativos, com a vantagem de poder levar o seu carro, pelo que certamente haverá adesão que todos esperamos”, perspectivou. “Só é pena que ele vá a Portimão e não para Lisboa, porque a ligação a Lisboa seria muito mais convidativa, porque não obrigaria as pessoas a terem de percorrer o país quase todo, sobretudo para quem tem de ir para Norte. Mas é o mal menor”, concluiu.

Outras Notícias