Governo destaca "compromisso" dos munícipios com novas formas de mobilidade

16 Set 2016 / 09:46 H.

O ministro do Ambiente salientou a importância da adesão de cerca de 40 concelhos à Semana Europeia da Mobilidade, que arranca hoje, destacando ainda o "compromisso" verificado em quase todos os 308 municípios com novas formas de mobilidade.

Este ano, em Portugal, aderiram a esta iniciativa 48 localidades de mais de 40 municípios - como Águeda, Arganil, Alvito, Barcelos, Câmara de Lobos, Coruche, Fafe, Lagoa, Loures, Lousã, Manteigas, Oeiras, Oliveira do Bairro, Portimão, Porto Santo, Sines, Tavira, Vale de Cambra ou Valongo -, das quais apenas quatro são capitais de distrito - Faro, Lisboa, Santarém e Setúbal -, de acordo com uma lista datada de 12 de setembro, publicada no 'site' da APA.

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, em declarações à Lusa, considerou "importante" a adesão à iniciativa promovida pela Comissão Europeia, "pelo efeito demonstrativo que tem". 

No entanto, sublinhou, "o que é sobretudo importante é o compromisso que se sente que quase todas as autarquias em Portugal têm com esta nova forma de mobilidade e de desenhar as suas próprias cidades e os seus espaços urbanos".

"Se gostaria que houvesse aqui mais cidades? Sim", admitiu, salientando, contudo, que "as autarquias estão cada vez mais comprometidas com a mobilidade suave e a mobilidade sustentável".

Isso é notório, apontou, no "número invulgar de projetos aprovados no contexto dos Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano": "Uma parcela muito significativa destes é para promover ciclovias de passeio quotidiano e também outras formas de bilhética. As autarquias estão muito comprometidas".

O Governo associa-se à Semana Europeia da Mobilidade com três iniciativas, a primeira das quais acontece hoje em Vila Real, com a assinatura dos contratos das candidaturas do 'U Bike' (U de Universidade).

"Vamos financiar a compra de três mil bicicletas, por 15 instituições politécnicas e universitárias em todo o país. Bicicletas convencionais e bicicletas elétricas", contou.

Para o governante, "o público universitário é o público ideal para se tentar influenciar a utilizar modos de mobilidade suave".

"É fundamental reduzir as deslocações por automóveis, por transporte individual. Isso é da maior importância para a qualidade de vida nas cidades e também para a redução dos gases que provocam efeitos de estufa", defendeu.

O ministro recordou que cerca de 7% das deslocações quotidianas na Europa se fazem em bicicleta e em Portugal esse valor é de apenas 1%.

Na quarta-feira, dia 21, será celebrado em Lisboa um protocolo entre a rodoviária pública Carris e a CaetanoBus, "uma empresa portuguesa que já tem construído um autocarro elétrico, que é fundamental começar a testar em espaço urbano".

Segundo João Matos Fernandes, este protocolo "vai fazer com que, através da Carris, Lisboa seja uma das cidades onde um modo tão inovador no mundo pode vir a ser testado a partir de tecnologia portuguesa e de um veículo desenvolvido em Portugal".

Apesar de a Semana Europeia da Mobilidade terminar no dia 22, em Portugal vai ter mais um dia -- 23, no Porto -, relacionado com os títulos de transporte.

Nesse dia, será assinado um protocolo para a implementação de uma nova solução para o sistema intermodal de bilhética.

Segundo o ministro, "os títulos comprados são cada vez mais títulos ocasionais, as pessoas estão a comprar menos passes, a fazer menos assinaturas".

"Por um lado, no sentido tecnológico, não faz sentido hoje termos que comprar um título de transporte quando podemos ser identificados a partir de uma 'app' no nosso 'smartphone' como estando a entrar ou a sair de um modo de transporte. Interessa criar uma conta de mobilidade que se possa utilizar nos diversos meios de transporte numa cidade de forma livre e como for mais conveniente a cada um, para fazer uma escolha e pagar ao final do mês", adiantou.

 

Lusa

Outras Notícias