José Manuel Coelho acusa Banco de Portugal de passividade face a Banif

29 Dez 2015 / 13:54 H.

Com o intuito de criticar a falta de fiscalização do Banco de Portugal, relativamente à actividade bancária da banca privada, foi em frente a esta instituição que José Manuel Coelho levou a cabo mais uma iniciativa política. O deputado acusou este organismo de, através da falta de acção, ter colaborado para o “descalabro do Banif, que se seguiu ao BES e ao BPN”.

No banco madeirense foram cerca de 39.728 accionistas os que perderam o seu dinheiro. Números avançados pelo deputado do Partido Trabalhista Português (PTP), que afirma que esse dinheiro serviu para engordar os grandes empresários do regime. Tranquada Gomes, Miguel de Sousa, João Santos e Paulo Fontes, foram os nomes apontados por Coelho, que acusou estes “senhores da comissão política do PSD” de estarem entre os 12 administradores, que “durante um ano ganharam um milhão de euros”. 

Acusados  por Coelho foram também os empresários Jaime Ramos, Jorge Sá, Sílvio Santos e António Henriques, por terem "pedido dinheiro a fundo perdido", para as suas empresas madeirenses e por terem saqueado “a economia portuguesa, dos depositantes, dos accionistas e do próprio Banif”. Face a este aspecto, o deputado criticou o facto de não terem sido apuradas responsabilidades, acusando a justiça "portuguesa e madeirense", de ser ineficaz e corrupta pois "penhora um cidadão por não pagar um selo de um carro, mas não responsabiliza os ladrões do PPD, que enganaram os emigrantes e depositantes”.

 

Outras Notícias