Merkel diz que acto de co-piloto foi "um crime contra as vítimas e as famílias"

26 Mar 2015 / 17:24 H.

    Angela Merkel considerou hoje que o ato do copiloto do avião da Germanwings, que terá provocado deliberadamente o acidente de terça-feira, "é um crime contra as vítimas e as famílias das vítimas" e dá à tragédia "uma dimensão inconcebível".

    "Hoje soubemos que esta tragédia assumiu uma dimensão inconcebível, as autoridades francesas declararam que o copiloto do avião precipitou voluntariamente a queda do mesmo", disse a chanceler alemã à imprensa em Berlim. "É um crime que foi cometido contra as vítimas e as famílias das vítimas", afirmou, sublinhando que as novas informações constituem "uma carga adicional terrível" para os familiares.

    A chefe do governo alemão prometeu às famílias das vítimas que fará "tudo o que estiver ao alcance" para esclarecer as circunstâncias da tragédia. O procurador francês encarregado da investigação, Brice Robin, afirmou hoje, citando a gravação dos sons do 'cockpit', que o copiloto, Andreas Lubitz, provocou deliberadamente o acidente.

    O Airbus A320 da Germanwings, que fazia a ligação entre Barcelona (Espanha) e Düsseldorf (Alemanha), despenhou-se na terça-feira nos Alpes franceses, matando todos os 144 passageiros e seis tripulantes. A maioria das vítimas era de nacionalidade alemã e espanhola.

    Agência Lusa

    Outras Notícias