“Justiça é uma adversária dos democratas nesta terra”

Convicção de José Manuel Coelho, após ser ouvido pelo Instituto de Reinserção Social

25 Jun 2014 / 19:10 H.

“A justiça é uma adversária dos democratas nesta terra, porque não se interessa em combater e investigar as fraudes financeiras da oligarquia do regime jardinista, está apenas apostada em perseguir as pessoas que denunciam as situações e os jornalistas que fazem jornalismo de investigação”. Em síntese, foi esta a mensagem que o líder do PTP, José Manuel Coelho, transmitiu à técnica do Instituto de Reinserção Social (IRS) que teve de ouvi-lo esta manhã, por ordem do juiz do Tribunal Judicial do Funchal que está a julgar um processo-crime que resulta de uma queixa do dirigente do PSD António Candelária.

À saída da reunião, o deputado do PTP descreveu que se sentiu tratado como “um delinquente de delito comum”, com uma técnica do IRS a querer saber a sua situação familiar, se estava bem inserido na sociedade e o que é que pensava da justiça. Ora esta situação levou José Manuel Coelho a concluir que “quem luta contra a corrupção na Madeira e o esbanjamento dos dinheiros públicos é apanhado entre dois fogos – por um lado os corruptos do regime jardinista e por outro os tribunais e juízes feitos com a oligarquia”.

Na reunião no IRS, Coelho teve também de explicar a suposta fuga de António Candelária para o Brasil com dinheiro da Fundação Social Democrata. “Era voz corrente e nunca foi desmentida. É uma situação opaca e que nunca foi clarificada”, garantiu o líder do PTP.

Outras Notícias