Rondon espera que o povo do seu país se una num momento "muito triste"

Futebolista do Nacional acredita que as pessoas vão conseguir eleger um sucessor que contribua para o desenvolvimento da Venezuela

06 Mar 2013 / 00:37 H.

Mário Rondon, futebolista internacional venezuelano que representa o Nacional, ficou surpreendido com o anúncio da morte de Chávez. “Sim, fiquei surpreendido por ter acontecido agora. Existiam notícias que davam conta da sua melhoria e de repente aconteceu isto. Fico triste, claro, também pela tristeza que está a passar o meu país”, sublinhou.

O atleta deseja agora que o povo venezuelano consiga rapidamente se recompor. “Espero que se unam todos e que contribuam para que o país melhore. Daqui a 30 dias pode haver eleições novamente conforme dita a Constituição. Faço votos para que possamos escolher o melhor presidente para que o país melhore”, concluiu.