Câmara do Funchal arrenda terrenos para mais 500 hortas urbanas

31 Jan 2013 / 16:00 H.

A Câmara Municipal do Funchal vai abrir uma oferta pública de terrenos para criar mais 500 hortas urbanas, número que não satisfaz a procura destes espaços, atualmente com 900 pedidos, revelou hoje a autarquia. À agência Lusa, o vereador com o pelouro da Gestão Ambiental, Henrique Costa Neves, explicou que a oferta pública para arrendamento de terrenos para instalar as hortas pressupõe um contrato de "cinco anos, no mínimo", e renovável, sendo obrigatório as áreas terem "potencial agrícola".

Henrique Costa Neves adiantou que até no final de 2012 o município atribuiu hortas urbanas a 514 munícipes, em 19 zonas distintas, numa área total de 33.196 metros quadrados, "superior a três campos de futebol". O autarca esclareceu que a cada proprietário da horta o município disponibiliza um pequeno abrigo para a colocação de alfaias agrícolas, oferecendo ainda, gratuitamente, a vedação da horta e água de rega. "Neste momento, temos hortas urbanas em seis freguesias: São Martinho, Santo António, São Pedro, São Roque, Santa Maria Maior e São Gonçalo", afirmou, considerando este projeto municipal um "sucesso". Segundo Henrique Costa Neves, "a adesão é muito grande" e o êxito da iniciativa constata-se pelo número de inscrições.

O vereador acrescentou que os proprietários das hortas "assinam um termo de compromisso", segundo o qual "têm de manter o talhão sempre em produção". "No caso de abandono, a pessoa tem que o devolver à câmara e o espaço passa, automaticamente, para a seguinte da lista", disse. Em sete anos, apontou, houve 12 casos destes. Henrique Costa Neves realçou que quem procura uma horta urbana, no que designou de "regresso à terra", não são apenas pessoas com dificuldades. "Há também outras que têm a sua vida normalizada e que encontram nas hortas urbanas uma oportunidade para criarem produtos horto agrícolas de qualidade", afiançou, reconhecendo, contudo, que estes espaços "têm uma importância grande para a economia doméstica",assim como no "aspeto lúdico e espiritual". O responsável adiantou que nas hortas urbanas espalhadas pelo concelho cultiva-se um pouco de tudo, desde árvores de fruto a plantas aromáticas, legumes e até flores. Henrique Costa Neves assegurou ainda que este ano vão avançar os lotes mistos, que integrarão a horta e a pecuária de pequeno porte, e exemplificou com galinhas, coelhos ou porcos, mas não precisou o local.

Agência Lusa

Outras Notícias