Fotógrafo reúne filmes que revelam a Madeira de outros tempos

28 Jan 2013 / 11:51 H.

Dos carros de bois aos primeiros veículos a motor, das actividades económicas às tradições, revela-se a Madeira de outros tempos nos filmes feitos por turistas de passagem pela região que o fotógrafo Hugo Reis colecciona.

"Tudo começou com a minha paixão pelas fotografias, principalmente as fotografias antigas, e uma coisa levou à outra", disse à agência Lusa Hugo Reis, de 42 anos, natural do Funchal, que a partir dos 30 começou a somar às imagens fixas as imagens em movimento, neste caso filmes feitos por turistas de viagem pela ilha.

A primeira película que adquiriu, a um vendedor de Londres, é dos anos 70 do século XX e destaca paisagens do Funchal e do Porto Moniz, explicou o fotógrafo, reconhecendo que, a partir desta compra, o interesse nas "curtas" aumentou, assim como a curiosidade sobre a Madeira de outros tempos.

Hugo Reis passou a calcorrear feiras de antiguidades, participou em leilões, conheceu coleções particulares e desbravou na Internet outros tantos filmes, tendo, neste momento, cerca de 70, com um total de 18 horas.

O mais antigo data de 1925. "É uma película de 15 minutos, em formato de 16 mm", adiantou, referindo que mostra o lado urbano, mas também rural da ilha, e foi ter às suas mãos depois de o comprar no "eBay" a um vendedor da Alemanha.

"É um tesouro que encontrei... A baía do Funchal, a sua avenida principal...", afirmou Hugo Reis, admitindo que este e tantos outros filmes são um "regresso ao passado" da Madeira.

Da colecção, o fotógrafo destacou, ainda, um outro filme, promocional, encomendado pela Direcção Regional de Turismo da Madeira.

"Servia para exibir pela Europa toda antes de o cinema de Hollywood começar", esclareceu, notando que, neste caso, a película é a cor e, se não o tivesse descoberto na posse de um inglês, tinha como destino o lixo.

Por entre os filmes que tem colecionado, há igualmente imagens de lagartixas, cuja quantidade no Funchal parece ter surpreendido turistas, e muitas, muitas flores.

A única linha ferroviária que existiu no arquipélago e a operação de corte de baleias no Caniçal, Machico, quando a caça aos cetáceos no mar da região estava no apogeu, estão, também, entre a História da região que pode ser revisitada na colecção de Hugo Reis.

Em 2004, o fotógrafo começou a digitalizar os filmes que foi reunindo e, depois de gravados em DVD, começaram a ser exibidos em escolas e outros locais da ilha, objectivo que mantém.

"Eu não queria estes filmes arquivados e mais ninguém saber deles. A minha intenção era mostrá-los a todos, a quem quisesse ver", continuou, defendendo: "Estes importantes registos da nossa História madeirense deveriam despertar mais interesse às autoridades responsáveis, de maneira que os adquirissem também, os preservassem e os exibissem".

Para já, o fotógrafo, que admitiu que a aquisição abrandou "um pouco", como a economia, deseja que surja apoio para ajudar a digitalizar o resto da colecção, com filmes até à década de 80 do século passado, caso contrário podem perder-se devido à deterioração das películas.

Lusa

Outras Notícias