CDS recua e adia audição sobre Jornal da Madeira

PS e Bloco acusam PSD e CDS de 'branquear' comportamento de Jardim na Madeira

26 Jun 2012 / 19:13 H.

    Chumbados. Os requerimentos do PS e do Bloco de Esquerda para ouvir a Autoridade da Concorrência (AdC) e Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) a propósito da situação do Jornal da Madeira, que não cumpre as deliberações destes organismos para adoptar uma postura de não concorrência no mercado, foram rejeitados pelo PSD com a abstenção do CDS.

    Os centristas recuaram em relação ao que defenderam a semana passada e aproximou-se do parceiro de coligação, PSD, ao exigir a deliberação final da ERC à queixa efectuada pelo DIÁRIO, para então ouvir esta entidade.

    Uma situação que foi considerada “absurda” por Catarina Martins, do BE, e um “branqueamento” do comportamento de Jardim na Madeira, por Manuel Seabra, do PS.

    Francisca Almeida, do PSD, justificou-se com questões formais, que foram repetidas depois por José Manuel Rodrigues. O líder do CDS-M, que na Legislatura passada levou a questão a São Bento, considerou agora que apesar de o assunto dever ser abordado em Lisboa, é “extemporâneo”, sem se conhecer a nova deliberação da ERC de 2012.

    Apesar disto, o socialista madeirense Jacinto Serrão apelou a que fossem votados os documentos mesmo com a condição de as entidade só serem ouvidas depois da a ERC concluir os trabalhos.

    Uma hora de debate depois, a Comissão da Ética votou os requerimentos, que foram rejeitados pelo PSD. CDS absteve-se, PS, BE e PCP votaram a favor.

    CDS promete voltar ao assunto mais tarde.

    Saiba mais na edição impressa de amanhã.
     

    Sandra Cardoso, em Lisboa