General de confiança de Hugo Chávez assassinado

21 Abr 2012 / 11:26 H.

    O general Wilmer Moreno, homem da confiança do presidente Hugo Chávez foi assassinado por desconhecidos na quinta-feira, revelaram hoje as autoridades venezuelanas.

     

    Segundo o canal estatal Venezuelana de Televisão, o general foi abordado por vários homens armados que lhe perguntaram se se chamava Wilmer Moreno e que dispararam, pelo menos, dez vezes quando o oficial respondeu afirmativamente à pergunta.

     

    O militar foi transportado a um centro hospitalar onde faleceu horas mais tarde.

     

    As autoridades nomearam dois procuradores para investigar o assassínio, suspeitando tratar-se de um caso de "sicariato" ou morte por encomenda.

     

    Wilmer Moreno, 57 anos era general do Exército venezuelano e um colaborador do governo do presidente Hugo Chávez, que várias vezes lhe manifestou apreço.

     

    Em 1992 participou na falhada intentona golpista liderada pelo então comandante e hoje presidente, Hugo Chávez, contra o ex-presidente Carlos Andrés Pérez.

     

    Foi subdiretor da Direção de Inteligência Militar e diretor da Direção Geral Sectorial de Alistamento e comandante da Guarnição de Mérida (sudoeste de Caracas).

     

    Entre os acontecimentos pelos quais era recordado pelo povo venezuelano estava uma conferência de imprensa datada de 13 de abril de 2002 - após o golpe de Estado que dois dias antes afastou temporariamente Hugo Chávez do poder -, durante a qual manifestou lealdade para com o Chefe de Estado.
     

    Lusa

    Outras Notícias