Sporting defende cores portuguesas com ambição de chegar longe na Liga Europa

Lisboa /
18 Set 2018 / 09:37 H.

O Sporting carrega esta época o estatuto de defensor do futebol português na Liga Europa, tendo no horizonte um grupo acessível e a aspiração de superar a presença nos quartos de final na anterior edição da prova.

Depois dos afastamentos algo surpreendentes de Sporting de Braga e Rio Ave aos pés de Zorya e Jagiellonia, respetivamente, nas pré-eliminatórias, os ‘leões’ ficaram isolados na segunda competição da UEFA e o sorteio destinou-lhes a oposição do poderoso Arsenal e dos mais modestos Vorskla, da Ucrânia, e Qarabag, do Azerbaijão, no grupo E.

No arranque de um novo ciclo, agora sob a presidência do recém-eleito Frederico Varandas, e comandado pelo treinador José Peseiro -- responsável pela única presença do Sporting numa final da antiga Taça UEFA, em 2005 -- o clube de Alvalade tem condições para superar o primeiro obstáculo, apesar da oposição de um dos anunciados candidatos ao triunfo.

Pelo segundo ano consecutivo na Liga Europa, após duas décadas de participação ininterrupta na Liga dos Campeões, o Arsenal tenta virar a página sobre a marcante passagem de Arsène Wenger com o técnico espanhol Unai Emery, um ‘especialista’ desta competição, com três triunfos seguidos (2014, 2015 e 2016) enquanto responsável pelo Sevilha.

A transição não se adivinhava fácil e o arranque dos londrinos na Premier League é prova disso, com duas derrotas em cinco jornadas e uma distância competitiva já evidente para os rivais na luta pelo título inglês. Entre as principais figuras da equipa estão o veterano guarda-redes checo Petr Cech, o médio alemão Mesut Ozil e o avançado gabonês Aubameyang.

A primazia do grupo deve ser disputada com os ingleses, mas o Sporting terá de se acautelar também com o Qarabag. O clube - que joga em Baku, o palco da final deste ano - conquistou na época transata o quinto título de campeão consecutivo no Azerbaijão e figurou como a primeira equipa do país na Liga dos Campeões, ao lado de Atlético de Madrid, Roma e Chelsea.

Além da desgastante viagem até à capital azeri, onde o Qarabag joga desde 1993, depois de deixar Agdam devido ao conflito na região de Nagorno-Karabakh, a formação ‘leonina’ vai defrontar um conjunto bem organizado pelo técnico Qurban Qurbanov e reencontrar os ‘velhos conhecidos’ Slavchev, que integrou o plantel em 2014/15, e Vagner, que representou Boavista e Estoril.

Por fim, o Vorskla, terceiro classificado no último campeonato da Ucrânia, apresenta um plantel composto quase exclusivamente por jogadores ucranianos, nos quais se salientam o guardião Shust e o avançado Kulach, além dos brasileiros Artur e Nicolas Careca.

Apesar da boa campanha de 2017/18, a presente época está a ser marcada pela irregularidade: quinto lugar, com quatro vitórias e quatro derrotas em oito jornadas realizadas na liga ucraniana.

A fase de grupos da Liga Europa começa na quinta-feira e completa-se em 13 de dezembro, com a realização da sexta e última jornada.

Outras Notícias