Sérgio Conceição quer evitar supresas com o Vitória e levar o FC Porto ao Jamor

13 Dez 2017 / 15:16 H.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, tem vontade de regressar ao Jamor e, por isso, disse hoje que não quer ser surpreendido pelo Vitória de Guimarães, na quinta-feira, nos oitavos de final da Taça de Portugal de futebol.

“Em relação à preparação, o que posso dizer é que hoje treinámos os penáltis. Estamos à espera de um jogo difícil, contra uma equipa moralizada e historicamente difícil. Esperamos dificuldades. A Taça é uma competição em que acontecem surpresas e eu não quero ser surpreendido. A Taça tem qualquer coisa de especial e estar no Jamor é um sonho. Já lá estive como jogador e treinador. É um dia diferente”, disse Sérgio Conceição na conferência de imprensa de antevisão.

Apesar de tudo, o técnico preferiu não revelar pormenores em relação ao ‘onze’ que vai utilizar no Estádio do Dragão, nomeadamente o guarda-redes que vai entrar em campo.

“O Casillas está convocado. Vamos ver se joga. Sobre o Diego Reyes... é uma questão de gestão, de oportunidade. Esteve bem em Setúbal”, acrescentou o técnico, que deixou Felipe no banco frente aos sadinos, em jogo da I Liga, depois da sua expulsão no jogo com o Mónaco, na Liga dos Campeões.

Como já vem sendo hábito, Sérgio Conceição falou da pressão e o quanto isso faz parte de todos os jogos do FC Porto.

“Fizeram-me a mesma questão antes do jogo de Setúbal. Gostamos de ter pressão. Estes jogos a eliminar também têm pressão, mas essa é a nossa exigência diária, o nosso rigor e disciplina”, referiu.

Sérgio Conceição admitiu ainda que a Taça de Portugal é uma “espinha atravessada” na sua garganta, depois da final que perdeu em 2015, no comando do Sporting de Braga, frente ao Sporting, num jogo que esteve a vencer por 2-0 até ao minuto 84. Depois, os leões acabariam por empatar antes do término do tempo regulamentar e sairiam vitoriosos das grandes penalidades.

Na antevisão ao duelo com o Vitória de Guimarães, o agora treinador do FC Porto falou no desejo de estar no Estádio Nacional e levantar o troféu da ‘prova rainha’ do futebol português, em maio.

“Não posso dizer que não [é uma espinha encravada]. Partindo do princípio de que tenho um carinho especial pela final da Taça, acho que perdi muito mal aquela final com o Braga. Chegámos à final depois de eliminarmos o Benfica, de dar 7-0 ao Belenenses, e, depois de estar a vencer por 2-0, perdemos tudo em cinco minutos, em duas ‘charutadas’ do adversário. Foi absolutamente injusto. Naquela final merecíamos ganhar um título. Foi um dos momentos mais tristes da minha carreira”, lamentou Sérgio Conceição.

O FC Porto recebe esta quinta-feira o Vitória de Setúbal em jogo a contar para os oitavos de final da Taça de Portugal.