Sérgio Conceição garante que não houve qualquer problema com Iker Casillas

20 Out 2017 / 21:48 H.

O treinador Sérgio Conceição disse hoje que não houve qualquer problema com Iker Casillas e foi apenas uma opção técnica ter trocado o guarda-redes espanhol por José Sá no encontro contra o Leipzig, na Liga dos Campeões de futebol.

Sem revelar se José Sá vai manter a titularidade, o técnico, que quer dar uma resposta “cabal” no próximo jogo, com o Paços de Ferreira, garantiu, em conferência de imprensa, que a equipa está preparada e consciente de que apenas a vitória interessa e que o “melhor onze” vai entrar em campo, desvalorizando a polémica gerada em torno da baliza.

“Em relação àquilo que foi a escolha do último jogo, foi opção técnica. Sempre disse que todos os jogadores do plantel estão à disposição e em condições de competir por um lugar na equipa. Isso foi muito falado, das restrições do FC Porto na quantidade dos jogadores. Essa opção técnica tem a ver com duas ou três características que acho fundamentais, relacionadas com o adversário, com as características do jogador, da semana de trabalhos... Foi isso, pura e simplesmente”, começou a explicar o treinador visivelmente irritado com todas as notícias que têm vindo a público.

Sérgio Conceição usou ainda a referência do presidente Pinto da Costa para explicar em que se baseiam as escolhas para a equipa.

“Há outros que veem, se calhar, o estatuto, os olhos, a cor, a pele, se é alto... Se for a entrar por aí, sento-me à frente do nosso presidente em estágio e vejo uma pessoa que tem 58 títulos. Não tenho capacidade para olhar olhos nos olhos do meu presidente. É inigualável, o mais titulado no mundo. A única grande referência do nosso clube é o nosso presidente”, disse ainda continuando: “O Júlio César [Benfica] tem 36 títulos e ninguém puxou pelo facto de ter ficado no banco. O Iker é um jogador que tem trabalhado no dia a dia e não há nada a dizer. Tem um comportamento fantástico. Se não chamo o Vítor Baía, que tem muito mais títulos. Vamos por aquilo que é a equipa e o rendimento diário dos jogadores em função do adversário, daquilo que é o jogo e daquilo que é o treino”.

Confrontado com a notícia de que Casillas ficou no banco de suplentes frente ao Leipzig em virtude de menor empenho no trabalho semanal e do desagrado perante o uso inapropriado do telemóvel nas concentrações, o treinador desvalorizou.

“Se fosse um problema disciplinar, o Casillas não estava nos convocados. Sinceramente, não entendo o porquê deste alarido todo. Uma opção puramente técnica. Porquê isto tudo do telemóvel, da discussão. Perguntem ao Iker se houve algum problema com o treinador do FC Porto? Zero, zero. O FC Porto é gerido aqui dentro, por mim. Para mim, o que importa é o rendimento. Estatuto é igual a rendimento”, disse ainda.

O FC Porto recebe este sábado o Paços de Ferreira, no Estádio do Dragão, às 20h30 horas, em jogo da nona jornada da I Liga de futebol.

Outras Notícias