Selecção portuguesa de futsal já sonha em ser campeã mundial

Oeiras /
11 Fev 2018 / 18:53 H.

O selecionador português de futsal e o capitão Ricardinho confidenciaram hoje que todo o grupo acreditou na conquista do título europeu desde o estágio realizado em Rio Maior, antes da partida para a Eslovénia.

“Nós temos um grupo de WhatsApp e o nome foi mudado para campeões europeus, ainda durante o estágio em Rio Maior, antes de chegarmos à Eslovénia”, afirmou Ricardinho, na Cidade do Futebol, em Oeiras, onde a equipa foi deixar a troféu de campeã europeia de futsal.

Também o técnico Jorge Braz confidenciou que Bruno Coelho, o marcador do livre que deu a vitória por 3-2 sobre a Espanha na final, lhe enviou uma mensagem escrita de telemóvel que tinha sido partilhada entre os jogadores após o sorteio, que colocou a Roménia e a Ucrânia no caminho de Portugal na primeira fase do europeu.

“A mensagem dizia: ‘Mister’, vamos ser campeões’”, disse Jorge Braz, garantindo ter ficado surpreendido com a receção que os portugueses fizeram à equipa, que hoje regressou da Eslovénia

Jorge Braz, cuja renovação até 2020 foi hoje anunciada, admitiu que a equipa “tinha consciência de que estava num bom momento”, e assumiu o desejo de novas conquistas: “Honestamente, acho que podemos alcançar tudo o que quisermos”.

“Acreditámos muito que este era o momento, e aconteceu. Claro que queremos que outros momentos apareçam e vão aparecer, nem sempre vamos ganhar, nem sempre o futsal português vai ser campeão, mas que vai estar sempre nas decisões, que vai estar sempre lá em cima, disso tenho certeza”, disse.

João Matos também assumiu o desejo de novas conquistas: “Sonhámos com a Europa e conseguimos, não é descabido sonhar com o campeonato mundial, agora há muito tempo até lá, vamos desfrutar desta alegria e deste campeonato da Europa”.

Ricardinho, o melhor jogador do Mundo, que se lesionou durante a final, aproveitou a ocasião para fazer mais uma confidência e elogiar o companheiro Bruno Coelho, autor do livre que garantiu a vitória no último minuto do prolongamento: “O Bruno Coelho, quando faltava cerca de um minuto e meio disse-me: ‘Fica tranquilo, que vamos ter um de 10 metros e eu vou metê-la lá dentro”.

Depois de ter sido recebida no Palácio de Belém pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a seleção portuguesa deslocou-se à Cidade do Futebol para deixar o troféu conquistado no sábado, na Eslovénia, numa final decidida no prolongamento depois de um empate 2-2 no tempo regulamentar.

A taça ficou exposta na sede da Federação Portuguesa de Futebol, ao lado do troféu do Euro2016 e do Mundial de futebol de praia de 2015.

Tópicos