Rui Vitória rejeita “ciclos” no Benfica e espera “final” contra o Marítimo

Partida disputa-se amanhã, pelas 20h30, no Estádio dos Barreiros

Lisboa /
01 Dez 2016 / 17:58 H.

O treinador do Benfica, Rui Vitória, evitou classificar o mês de dezembro como um ‘ciclo difícil’ e mostrou-se apenas concentrado na partida com o Marítimo, a contar para a 12.ª jornada da I Liga de futebol.

Na conferência de imprensa de antevisão do jogo de sexta-feira com a formação madeirense, o técnico dos ‘encarnados’ destacou as qualidades do adversário: “Vamos ter um jogo complicado e difícil. Não há perspetiva de ciclos, há um jogo que é importantíssimo para nós, num terreno difícil, contra uma grande equipa. Cada jogo é uma final para nós.”

O contexto recente de uma goleada sobre os ‘maritimistas’, por 6-0, para a última eliminatória da Taça de Portugal, foi igualmente relativizado por Rui Vitória.

“Não é possível associarmos um jogo ao outro de forma tão linear. O Marítimo é uma boa equipa, de qualidade, e amanhã vai ser um jogo diferente. A pior coisa que podemos fazer é agarrarmo-nos a coisas que fizemos no passado para ganhar jogos no futuro. Não adianta fazer cenários”, sublinhou.

Paralelamente, o treinador do Benfica não passou ao lado das declarações de Jorge Jesus, nas quais o técnico do Sporting considerou que a pressão de liderar é igual à da equipa que vai atrás na classificação. “Quero é ter pressão. A pressão é bom sinal. Não me afeta se estou atrás ou à frente. O foco são sempre os três pontos que há para ganhar”, explicou.

Além de confirmar as ausências por lesão dos laterais Grimaldo e Eliseu para o duelo com o Marítimo, Rui Vitória abordou ainda a recuperação do avançado Jonas, mas sem se vincular com uma data para o seu regresso aos relvados. “O Jonas está integrado e está a depender da evolução do seu dia a dia, mas a integração tem sido muito positiva”, realçou.

Por fim, o técnico comentou as notícias de um alegado mal-estar dentro do clube da Luz com o departamento médico e as constantes lesões que têm assolado o plantel esta época, deixando uma mensagem para o exterior.

“Estamos rodeados de excelentes profissionais e todos juntos temos permanentemente analisado a situação e vemos o que se pode melhorar. Quero também deixar um aviso muito claro: quanto mais nos quiserem desunir ou criar complicações, mais fortes nós ficamos”, disse, deixando ainda uma palavra de solidariedade para com a Chapecoense.

O plantel principal da Chapecoense foi vítima de um desastre de aviação na madrugada de terça-feira que provocou a morte a 71 das 77 pessoas que seguiam a bordo. No acidente, morreu a maioria dos elementos da Chapecoense e acompanhantes, que se deslocavam para Medellín para defrontar a equipa colombiana do Atlético Nacional, na primeira mão da final da Taça Sul-americana.

Dos seis sobreviventes, três são jogadores da equipa de Chapecó, que continuam hospitalizados na Colômbia.

O jogo entre o Marítimo e o Benfica, referente à 12ª jornada da I Liga de futebol, está agendado para esta sexta-feira, às 20:30, no Estádio dos Barreiros, na Madeira, com a arbitragem de Vasco Santos (Associação de Futebol de Porto).

Outras Notícias