‘Rankings’ chegam ao atletismo, mundiais e Jogos deixam de ter mínimos

Mundo /
03 Nov 2017 / 17:40 H.

Os apuramentos para as grandes competições de atletismo, como os Jogos Olímpicos e os Campeonatos do Mundo, deixam de ser feitas com recurso a mínimos e passam a ser pelo posicionamento num ‘ranking’, anunciou hoje a IAAF.

A medida vai ser já implementada no início de 2018, com as primeiras provas com entrada nos novos moldes a serem os campeonatos mundiais de 2019, em Doha, e os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, esclarece a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

O novo sistema é feito em parceria com a empresa Elite Ltd (All Athletics), já possuidora de uma base de dados vasta, e pretende valorizar a participação dos atletas em diferentes ‘meetings’, com pontuação similar ao que é feito no ténis, por exemplo. Será feita uma hierarquização das competições que se já se realizam, desde campeonatos até aos ‘meetings’ de um dia, provas de estrada e corta-mato.

Desta forma, desaparece como regra, para as grandes competições globais, o sistema de acesso por marca, como até aqui.

“O Ranking Mundial de Atletismo (IAAF World Rankings) será efetivo em 2018 e será o principal meio de acesso às grandes competições, como campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos”, disse o britânico Sebastian Coe, presidente da IAAF. “pela primeira vez na história do atletismo, atletas, meios de comunicação e adeptos terão um claro entendimento da hierarquia das competições, desde o plano nacional ao continental”, afirma Coe, citado no comunicado da IAAF.

O sistema em concreto da pontuação só vai ser divulgado durante o primeiro trimestre de 2018: nesse documento, serão definidos que pontos correspondem às marcas e classificações que venham a ser obtidas, bem como a hierarquização das provas.

Outras Notícias